Educação em/para Direitos Humanos

Nei Alberto Pies *

Se a educação sozinha não transforma o mundo, sem ela nenhuma transformação acontecerá.

Paulo Freire

A educação em e para os direitos humanos é mediação para a humanização das pessoas. Através dela podem ser construídas novas formas de relação interpessoal e com o ambiente cultural e natural que ponham a dignidade da pessoa, sua promoção e respeito, no centro da agenda.

Falar de educação em direitos humanos é tomar direitos humanos como tema e como abordagem de todo o processo educativo de tal sorte a fazer da educação a concretização de um dos direitos humanos e também mediação para a realização do conjunto dos direitos humanos.Falar de educação para os direitos humanos é compreender que a educação ocorre num contexto ainda marcado por processos de violação dos direitos, daí que, o papel central de educação está na formação de pessoas que reconheçam as outras como seres de dignidade e direitos.

A educação em e para os direitos humanos está desafiada a promover a diversidade, a denunciar todas as formas de violação, a viabilizar a solidariedade com (e entre) os mais fracos e as vítimas, a incidir na organização e na luta por justiça, a contribuir para realizar a paz e a boa convivência, enfim, a abrir espaço e tempo oportunos para que cada pessoa seja, com as outras, mais feliz

Neste sentido, a educação em e para os direitos humanos pode ser feita em todo tipo de espaço pedagógico: grupos populares, organizações, movimentos sociais, escolas, igrejas, academias. Enfim, ela tem lugar sempre que pessoas e grupos se propuserem a aprender com as outras.

Aprender não é somente acumular conteúdos, mesmo que seja fundamental conhecer e compreender criticamente diversos conteúdos. Aprender é sustentar posturas, subsidiar o desenvolvimento de atitudes e construir sujeitos pluridimensionais agentes da história.

Neste sentido, a educação em e para os direitos humanos constitui-se em mediação para a realização de práticas pedagógicas capazes de mobilizar aprendizagens que, acima de tudo, podem se traduzir em engajamento efetivo de cada pessoa na luta pela realização de todos os direitos humanos de todas as pessoas.

* Nei Alberto Pies é professor e ativista de direitos humanos.

Fonte: Nei Alberto Pies / Revista Missões

Deixe uma resposta

16 + 18 =