Festa da Consolata na Casa Regional, São Paulo

Joaquim Gonçalves / Revista Missões

A comunidade da Casa Regional se reuniu para a solenidade da Consolata no dia 20 de junho. Além dos membros da comunidade, incluindo o superior regional, participaram os padres Stephen, Jacques e Vidal que trabalham na Bahia. Presidiu à celebração eucarística o padre Jordão Pessati, secretário regional, que, na abertura da celebração, convidou a comunidade a entrar em sintonia e comunhão com todos os confrades e coirmãs, espalhados pelo mundo para viver um momento forte do espírito de família conforme os ensinamentos do Fundador. Lembrou também modo especial o irmão José Ramos, falecido dias atrás.

Na homilia, comentando o evangelho da anunciação e da visitação de Maria, padre Jordão convidou a comunidade a refletir sobre algumas atitudes de Maria que têm muito a ver com a nossa vida missionária:

- Maria se abre plenamente à Palavra de Deus na Anunciação, aceitando a missão que Deus lhe confia e para a qual foi chamada. Depois das hesitações iniciais, ela abre seu coração plenamente para Deus dizendo ao anjo: "faça-se em mim segundo a tua palavra". A palavra de Deus é aquela que nos transforma quando a aceitamos e a vivemos.

- Maria se coloca em uma disponibilidade plena perante um futuro cheio de incógnitas. Quando a confiança é total, não há obstáculo que seja insuperável. Essa disponibilidade faz parte de nosso voto de obediência para servir com plena dação a Missão que nos é confiada. Nosso Fundador passou por muitas dificuldades que, segundo ele, foram a oportunidade para crescer mais na confiança em Maria.

- Na sua saída para a casa da prima Isabel, Maria revelou seu espírito de serviço. Ela sabia que a prima ia precisar de seus préstimos e por isso, se colocou plenamente a serviço de Isabel. Foi um encontro muito alegre e revelador da humildade e disponibilidade de Maria. A disponibilidade está na base de grandes resultados missionários.

- Maria, ao receber a saudação do Anjo respondeu com uma ação de graças maravilhosa. Quando se faz a vontade de Deus, nossa alma desabrocha em grande ação de graças. Não devemos atribuir a nós mesmos os resultados de que fazemos. Antes do ofertório renovamos os nossos compromissos de consagração

No almoço de confraternização, preparados com muita estética, acolhemos o padre Sandro Delanora que estava de aniversário. Assim concluímos a caminhada da novena e da festa de nossa padroeira e Mãe Missionária que não se cansa de nos consolar.

Fonte: www.revistamissoes.org.br

Deixe uma resposta

vinte − dezenove =