A juventude nas ruas

Rogério Félix Machado *

A maioria esmagadora dos manifestantes é jovem. Aliás, as grandes mudanças que vimos acontecer em nosso país foram lideradas pelos jovens. Qual o alerta que eles nos dão neste momento? Creio que a juventude grita o seguinte pra nós: Acordem, católicos! Libertem-se da letargia política na qual se encontram! Libertem-se do engessamento do ‘só espiritual', do ‘política não tem nada a ver com religião'. Saiam dos seus espaços eclesiais e entrem de vez no "mundo".

Eles dizem: se tem bilhões de reais pra gastar com as Copas, por que aumentar a passagem de ônibus e, desse modo, empobrecer mais a população carente, os do salário tão minguado? Eles dizem: Olhem para os nossos postinhos de saúde, para os nossos hospitais, para o atendimento público (e também privado) da saúde e enxerguem a calamidade em que se encontra. Vejam o preço dos remédios. A saúde agoniza na UTI. Vejam o vergonhoso salário dos professores e de todos os que realmente carregam este país nas costas. Vejam o sofrimento dos idosos. Vejam a situação vergonhosa da Educação. Tentem enxergar os milhões de brasileiros que não tem casa, nem emprego. Vejam a multidão espalhada neste país continental sem comida, sem água, sem as mínimas condições de uma vida que tem que ser digna.

Vejam o preço vergonhoso dos alimentos. Vejam quanta corrupção! Quanta roubalheira! Quanta truculência das polícias. Quanto descaso dos políticos. Eles dizem: Não acreditem mais na naquele discursivo anestésico de que o país está melhor. O Brasil parou! A desigualdade e a injustiça social avançam cada vez mais. A onda de violência aumenta a cada dia. O custo de vida arrasa, cada dia mais, com os pobres. Tudo isso tem a ver sim com a Igreja, que é e tem que ser perita em humanidade. Disse Jesus: "Eu vim para que todos tenham vida" e, tudo isso que os jovens dizem tem a ver com a vida. Jesus nos fala pelos jovens.

Estas manifestações são um dos "sinais dos tempos". Acordem, católicos! Está na hora de dar uma basta! Quem sabe faz a hora. Não espera acontecer. Tomara que, na primeira oportunidade, testemunhemos que estamos juntos com esta juventude. Na verdade, a Igreja precisa tomar um "banho" de juventude, se não continuará "suja e desfigurada", sobretudo, no que se refere à luta por justiça social, por distribuição de renda e por igualdade.
Acordem, católicos!!! Testemunho profético já!!!

* Rogério Félix Machado é sacerdote e reitor do Seminário de Teologia da diocese de São José dos Campos. 

Fonte: Rogério Félix Machado / Revista Missões

Deixe uma resposta

13 − doze =