Gol Guarani

Egon Heck *

Por vários lugares de Assunción a expressão de confiança na alma Guarani - uma índia em movimento de defesa agarrando as flechas que estão sendo arremessadas contra o Paraguai. A escrita diz "La mística guarani vá por más"

Tarde do dia 14 de junho. Os gritos e vibração podem ser ouvidos de longe. O telão caprichosamente instalado por uma industria mundial de bebidas parecia um estádio lotado.

Há poucas quadras dali uma catadora de lixo continuava realizando tranquilamente sua luta pela sobrevivência, ignorando olimpicamente o que se passava ao redor. Seu gol era ter com que matar a fome.

Paixão guarani
Na Centro Cultural da Espanha, sala cheia. A tela trazia o rosto sorridente de barba branca de uma conhecida personalidade. Meliá é uma personalidade do mundo acadêmico no Paraguai, no Brasil e certamente um dos mais apaixonados conhecedores do mundo e da alma Guarani da atualidade. É uma homenagem aos cabelos grisalhos e rosto sorridente através de um vídeo em que ele narra sua trajetória de vida e seu aguçado, crítico e arrojado pensamento. Cativado pelos guarani, estes se tornaram sua paixão. Com eles percorreu as recônditas trilhas de uma sabedoria milenar e de um povo heróico, em mais de 500 anos de resistências as invasões de seus territórios, cultura e modos de vida.

No vídeo ele expõem com a tranqüilidade que lhe é peculiar seu pensamento com relação à história, pensamento e língua Guarani. Ironicamente afirma que os europeus "descobriram a América mas ainda não descobriram os Guarani". E desnuda uma de suas crenças profundas "se os Guarani não existissem teríamos que inventá-los". Eles souberam, em seu sistema social, conjugar liberdade com solidariedade.

Com relação à língua expõem com brilhantismo seu pensamento com relação à dinâmica e importância da mesmo no processo histórico de afirmação da identidade e resistência guarani. "A língua é um jardim com flores muito delicadas, e muitas vezes quase invisíveis, porém é ali que está o último campo de batalha da resistência à conquista de um povo".

No final do vídeo ele, já um pouco alquebrado pela idade, porém com a mesma disposição, subiu ao palco para os agradecimentos àquela multidão de amigos pedindo desculpas pelo esquecimento de alguns nomes, e reafirmando com toda sua lucidez e sabedoria, que se alimenta mais de perguntas do que eventuais respostas.

Encontro continental Guarani
A poucas quadras do coração de Assunción, outro momento importante: a coordenação do movimento continental Guarani, preparava o III Encontro Continental da Grande Nação Guarani, presente em cinco países da América do Sul. Caprichosamente na pauta do dia 14 à tarde constava a confiança à flor da pele de um Paraguai vibrante: triunfo Paraguai x Itália. E se cumpriu o ritual de torcida organizada, com direito a quentão e caipirinha. Ali todos, brasileiros, argentinhos, guarani, todos éramos torcedores do Paraguai. É espírito latino americano que se fazia prevalecer. Enfrentar, numa estréia, o atual campeão mundial, não era tarefa nada fácil. O gol da seleção paraguaia fez um grito contido explodir. Também foi um gol Guarani. Apesar de não conseguir garantir a vitória, o empate teve um leve sabor de um resultado positivo. Depois do futebol pulsando o mundo, foi a vez de voltar ao planejamento desse importante momento da luta e articulação do povo Guarani.

Talvez bola continue colocada na marca da penalidade máxima, e só quando efetivamente seja respeitada a pluralidade de povos em nossos países, quando conseguirem reconhecer a presença de inúmeros povos originários-indígenas que os compõem, então sim estaremos fazendo um gol de justiça e dignidade.

* Egon Heck, Povo Guarani Grande Povo.

Fonte: Cimi MS

Deixe uma resposta

4 × 2 =