Nota de apoio da Arquidiocese de Porto Velho ao Movimento pela emancipação de Ponta do Abunã

Moacyr Grechi *

A Arquidiocese de Porto Velho, considerando o sonho das comunidades da região de Ponta do Abunã, que inclue os Distritos de Extrema, Vista Alegre do Abunã, Nova Califórnia e Fortaleza do Abunã/RO, de constituir um município autônomo e independente de Porto Velho, vem através de seu arcebispo, Dom Moacyr Grechi, apoiar a população local bem como os movimentos populares em sua luta emancipacionista.

A Igreja Católica sempre esteve presente e atuante na região, acompanhando as famílias tradicionais e a formação das Comunidades Eclesiais de Base desde a chegada dos primeiros migrantes à região. Eles foram orientados pelos projetos oficiais de colonização a migrar para a região amazônica, mas tinham consciência de que essa colonização não estava sendo pensada em favor das famílias migrantes. Muitas dificuldades foram encontradas para viver num ambiente novo, difícil e desconhecido. Orientados pela CPT e pela nova caminhada das CEBs, a população local e outros migrantes deste "braço Ocidental de Rondônia", uniram seus conhecimentos da terra com os do associativismo e formaram algumas associações no local. Foi nesta luta contra as adversidades, acreditando na possibilidade de um desenvolvimento ecológico com sustentabilidade que procuraram a Igreja; colonos que queriam modificar a realidade social e ambiental da Ponta do Abunã, e em especial de Nova Califórnia, pedindo ajuda para um projeto de Reflorestamento Econômico Consorciado e Adensado (RECA).

Os recursos e o trabalho árduo e persistente das famílias que se associaram ao projeto garantiram seu êxito e uma nova ordem econômica para a região, visibilidade e reconhecimento internacional. O Plebiscito do dia 28 de fevereiro de 2010 é um direito conquistado para uma população, cuja experiência é exemplo para o país e para o mundo de modelo de geração de renda com preservação da floresta e com efetiva gestão participativa.

Convictos de que a alma do bem comum é a solidariedade, conclamamos a população a votar em favor da emancipação do novo município. Possa a participação democrática garantir para sua população um projeto comum de sociedade que "encontre sua dignidade na edificação da cidade humana onde todos têm oportunidade de realização pessoal e de comunhão solidária" (doc 50.CNBB). A bênção de Deus não faltará a quantos se esforçam para devolver ao povo, e principalmente às novas gerações, a confiança de que é possível construir uma sociedade justa e solidária, em que toda pessoa veja seus direitos reconhecidos e ela mesma, consciente de seus deveres, contribua para o reconhecimento da dignidade de todos.

Porto Velho, 25 de fevereiro de 2010.

Dom Moacyr Grechi
* Arcebispo de Porto Velho

 

Deixe uma resposta

dois × três =