O amor jamais acabará

Hércules Alves de Souza *

A proposta para o mês de setembro, mês da Bíblia é estudo da 1ª Carta de São Paulo aos Coríntios, tendo como tema: A Caridade sustenta a comunidade e como lema motivador "O amor jamais acabará." (1Cor 13,8). O Ano Paulino que acontecerá de 28 de junho 2008 a 29 de junho de 2009, foi convocado pelo Papa Bento XVI para comemorar os dois mil anos de nascimento de São Paulo. Será ocasião para redescobrir a figura do apóstolo Paulo, reler suas cartas e aprofundar seus ensinamentos. Tempo de fortalecer nossa fé, rezar e trabalhar pela unidade de todos os cristãos em uma Igreja mais corajosa, mais eucarística e missionária.

Como já se pode entender do tema e do lema, a leitura e oração da Bíblia deste ano apontará para o exercício pastoral de São Paulo Apóstolo e um dos seus maiores ensinamentos para a igreja de todos os tempos, principalmente para nós hoje. Este ensinamento é baseado no amor como sustento da vida da comunidade. Se é sustento, a comunidade não pode viver sem o amor, correndo o risco, de, assim o fazendo, perder seu sustento e vindo a trocá-la por outros apoios que não o do Jesus. Amar sustenta a comunidade. Se a comunidade não se sente firme é porque deva rever o modo como o amor é experimentado dentro de si.

Paulo é do mundo urbano, nascido em Tarso, viveu em Damasco, grande cidade, estudou em grandes escolas e era cidadão romano. Paulo é um exemplo de missionário: não trabalha sozinho; desperta lideranças, forma comunidades e lhes dá autonomia para caminhar na co-responsabilidade. É o missionário que faz da missão o grande sentido de sua vida. Mesmo empenho que mostrou na perseguição aos cristãos é mantido agora para o anúncio da Boa Nova de Cristo.

Paulo usou os recursos à sua disposição para fazer o Evangelho crescer em todas as direções. Assim, as cartas eram escritas para atender às necessidades bem concretas das comunidades: tirar dúvidas, criticar, corrigir, agradecer, informar, esclarecer problemas do dia-a-dia... No caso da comunidade de Corinto, as cartas foram escritas no calor dos acontecimentos a partir as informações vindas da casa de Cloé (1Cor 1,11), no meio dos trabalhos cotidianos e respondendo a questões das comunidades (cf. 1Cor 7,1). A carta aos Coríntios, do início ao fim, deixa claro que a caridade é que sustenta a comunidade e que o amor jamais acabará.

Deste modo, ler, rezar, meditar, proclamar, ensinar a Bíblia deve ser uma constante para nossa vida de cristãos empenhados em descobrir a vontade de Deus-Amor para o sustento de nossas vidas. Não somente descobri-la, mas experimentá-la em nosso proceder. Por isso, o desejo da igreja que todos tiremos as bíblias das estantes e coloquemo-las em nossas mãos e corações para um manuseio mais íntimo e carinhoso com a Palavra de Deus, o Senhor Jesus, que está plenamente revelado na Bíblia. Vamos usá-la em nossas meditações diárias, em nossas famílias, em nossos movimentos, em nossas pastorais e, enfim, em nossa Igreja toda.

Espero que tenhamos um excelente mês da Bíblia deixando a caridade, o amor sustentarem nossas vidas.

* Padre Hércules Alves de Souza, Pároco da Paróquia São José na Diocese de Santo Amaro

 

Deixe uma resposta

8 + 13 =