Mais de 50 organizações se reúnem para debater os desafios da Igreja frente a COP30

Aconteceu nesta sexta-feira, 7 de junho, na Casa Dom Luciano Mendes de Almeida, em Brasília/DF, o Fórum Laudato Si que recebeu o Grupo de Articulação da Campanha Laudato Si’ + COP 30, com a proposta de definir ações colaborativas e o Planejamento Estratégico da Campanha, como um caminho de preparação para a Igreja do Brasil em vista da COP 30.

A iniciativa, que reuniu mais de 50 organizações em formato híbrido, teve como objetivo fortalecer o grau de incidência da Igreja em vista da conversão ecológica e da transformação socioambiental do planeta, à luz da Doutrina Social da Igreja, analisando as diferentes atuações brasileiras na COP 30 e as maneiras de participação ativa.

Leon Patrick Afonso de Souza, diretor de Campanhas na Casa Galileia, abriu a cerimônia do encontro e as apresentações.

Ainda pela manhã, Stela Herschmann, especialista em Políticas Climáticas do Observatório do Clima, responsável por acompanhar as negociações internacionais de clima e fazer o engajamento com atores, abordou sobre COP 30, a visão das COPs, linha do tempo, quem pode participar do espaço de negociação das COPs, como Sociedade civil pode participar desse processo, e como é feito esse processo de organização da COP e como se articular para esse processo. Stela ressalta que hoje é inequívoca a interferência do homem na crise climática, “já estamos vivendo as eras das mudanças climáticas, é um processo que só vai se intensificar”.

Sobre os processos da COP Stela enfatiza: “Todos terão que colocar novas metas na mesa até as próximas COP´s, as metas de hoje não são suficientes, os países devem ser mais ambiciosos e aumentar seus compromissos, será um momento decisivo para limitar o aquecimento em 1.5”.

“O mundo está olhando para COP30 no Brasil, com muita expectativa por ser um país democrático, acolhedor que sabe receber, o mundo inteiro quer vir para COP30 em 2025 e celebrar os esforços e fortalecer a agenda climática do Brasil. É necessário alinhar metas, falar sobre adaptação, mitigação, perdas e danos para agenda global”, conclui.

Eduardo Nischespois, coordenador de campanhas do Movimento Laudato Si atualizou os instrumentos e material que o Grupo de Articulação vem atuando no processo de planejamento da Campanha mapeando parceiros, definindo objetivos e princípios na construção de um caminho de mobilização e preparação para a COP 30, além das escutas realizadas com as organizações católicas, para definir as diretrizes do grupo de Articulação.

No período da tarde o grupo retomou com atividades nos eixos propostos com mobilizações e incidências, os temas pautados são direcionados nas complexidades das mudanças climáticas e das Conferências das Partes (COPs), o papel da Igreja nessas Conferências e os principais desafios.

Para Dom Ricardo Hoepers, secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), o encontro é um momento importante para contextualizar e alinhar os trabalhos. “Os temas estão chegando a todos os rincões do Brasil, esse é o momento de aproveitar todas as forças já existentes, colocar tudo em uma grande rede trabalhando para o ano que vem termos o momento oportuno, para falar do mundo, da Casa Comum”.

“Estou muito feliz em estar aqui, satisfeito com os resultados. Estamos com muito trabalho, sendo chamados, acionados, a Santa Fé está querendo saber dos movimentos e articulações. É uma grande expectativa e a CNBB está com toda estrutura para fortalecer, em nível de consciência episcopal, contem conosco, com as estruturas, assessores e comissões”, reforçou o bispo auxiliar de Brasília.

Para a Irmã Maria Irene Lopes, secretária executiva da REPAM-Brasil e assessora da Comissão Episcopal Especial para a Amazônia da CNBB, o encontro proporcionou um espaço plural de participação e de sinergia entre as organizações.

“O Fórum promoveu um debate sério e consistente que garantirá uma grande mobilização durante a COP 30 em vista da nossa Casa Comum. Neste debate, unimos nossas vozes e cada organização teve a oportunidade de compartilhar o que tem construído e o que pode oferecer para garantir uma grande mobilização da Igreja em Rede”.

O encontro finalizou com a apresentação do Escritório da Articulação REPAM-COP 30, em Belém-PA, que tem o objetivo de fortalecer o processo de articulação dos povos amazônidas, fortalecendo suas vozes e lutas e ampliando sua capacidade de incidência política frente ao projeto “Igreja rumo à COP 30”.

Fonte: REPAM
TagsCOP30

Deixe uma resposta

um × 2 =