Consolata na Missão Catrimani: Testemunho de Amor e Consolação

Semana dos Povos Indígenas, Abril Vermelho, Dia dos Povos Indígenas. São expressões usadas para lembrar a importância desses povos na construção da identidade dos brasileiros.

Por Bob Mulega*

Lembrando o Dia dos Povos Indígenas, 19 de abril, queremos destacar o trabalho dos missionários e das missionárias da Consolata na Missão Catrimani, estado de Roraima, Brasil, junto ao povo Yanomami. Em 1965, os missionários da Consolata iniciaram esse trabalho junto a esse povo. A equipe hoje é composta por três Missionários do Instituto Missões Consolata (IMC) e três Missionárias da Consolata (MC) e representa o amor de Deus, unida na missão de testemunhar e levar consolação aos corações dos irmãos e irmãs indígenas. Em 2023 celebramos os 30 anos de homologação da terra indígena Yanomami, destacando a luta e os desafios que isso implicou.

Nosso objetivo principal é vivenciar os valores do Evangelho no cotidiano, mergulhando profundamente na diversidade cultural e humana do povo Yanomami. Buscamos estar atentos ao outro em seu caminho de fé e vida, caminhando lado a lado com eles.

Como missionários da Consolata, aspiramos a ser testemunhas vivas do Evangelho da consolação e da vida, promovendo junto ao povo Yanomami o ideal do "Bem Viver". Nossa visão é contribuir para o crescimento de um Yanomami "moyami", ou seja, uma comunidade em harmonia consigo mesma, com sua cultura e com o meio ambiente que a cerca. Reconhecemos a importância da etnoeducação como meio de respeitar e valorizar os caminhos trilhados pelo povo Yanomami.

Além disso, comprometemo-nos a ser fiéis ao caminho do diálogo inter-religioso, reconhecendo que na religiosidade do povo Yanomami há um profundo encontro com o transcendente. Nosso objetivo é identificar o caminho do sagrado nessa cultura, questionando-nos como Deus nos fala através deste povo e como podemos enriquecer nossa própria fé e espiritualidade por meio desse encontro.

Nossa convivência com o povo Yanomami não é apenas um intercâmbio cultural, mas sim um mergulho profundo em uma jornada espiritual e humana, onde buscamos aprender tanto quanto ensinar, crescer tanto quanto compartilhar e, acima de tudo, testemunhar o amor e a misericórdia de Deus em cada momento de nossa jornada juntos.

Desde os primeiros dias da chegada dos missionários da Consolata à Missão Catrimani, nos comprometemos a ser portadores de esperança para um povo muitas vezes esquecido pela sociedade. Nossa presença entre os Yanomami não se resume apenas às palavras, mas sim a uma entrega total, um viver e conviver lado a lado, compartilhando as alegrias e tristezas, os desafios e as esperanças deste povo.

Nosso trabalho é guiado por seis pilares fundamentais:

  1. Convivência e Compartilhar da Vida: Estamos presentes no dia a dia das comunidades Yanomami, compartilhando suas realidades, suas necessidades e suas alegrias. A convivência próxima nos permite compreender melhor sua cultura e espiritualidade, fortalecendo os laços de fraternidade e confiança.
  1. Testemunho e Consolação: Buscamos ser testemunhas do amor de Cristo através de nossas ações, sendo portadores de consolação para um povo que enfrenta inúmeros desafios e adversidades.
  1. Diálogo e Encontro: Estabelecemos pontes de diálogo entre nossa espiritualidade e a riqueza espiritual do povo Yanomami, buscando um enriquecimento mútuo e uma compreensão mais profunda da fé e da vida.
  1. Valorização da Cultura: Reconhecemos e valorizamos a importância da cultura Yanomami, trabalhando em harmonia com as comunidades e estabelecendo parcerias com organizações indígenas e indigenistas, como a HUTUKARA, para fortalecer sua identidade cultural e sua autoestima.
  1. Atividades de Formação e Acompanhamento: Realizamos uma série de atividades, incluindo visitas e partilhas nas comunidades, oficinas temáticas, assembleias e encontros, com o objetivo de promover a educação, a saúde e o fortalecimento comunitário.
  1. Desafios e Perspectivas: Enfrentamos desafios diários, desde as violências e ameaças enfrentadas pelas comunidades até a necessidade de um encontro significativo baseado no conhecimento profundo da língua e cultura Yanomami. No entanto, mantemos nossas esperanças firmes no "Bem Viver" para os povos indígenas, buscando garantir sua autodeterminação, valorização cultural e respeito de seus direitos fundamentais.

Nossa jornada missionária é marcada pelo compromisso e pela entrega, guiados pelo exemplo de amor e serviço de Nosso Senhor Jesus Cristo. Que possamos continuar a ser instrumentos da paz e da reconciliação neste mundo, levando a luz do Evangelho a todos os cantos da terra.

Que Deus abençoe abundantemente nossa Missão e que cada um de nós encontre a força e a coragem para perseverar no serviço ao próximo, especialmente aos nossos amados irmãos e irmãs Yanomami.

 

* Bob Mulega, missionário da Consolata na Missão Catrimani.

Deixe uma resposta

catorze − 5 =