Papa Francisco: recordação e proximidade aos católicos chineses

O Papa Francisco expressou nesta quarta-feira sua recordação e seu sentimento de "proximidade aos irmãos e irmãs" da Igreja chinesa, desejando que "a Boa Nova seja proclamada em sua plenitude, beleza e liberdade". Recordou-se também dos salesianos na Festa de Maria Auxiliadora e da martirizada Ucrânia.

Por Silvonei José

O Papa Francisco, no final da audiência geral desta quarta-feira (24/05/23), dirigiu seu pensamento à Igreja Católica na China: “Hoje é o Dia Mundial de Oração pela Igreja Católica na China. Coincide com a festa da Bem-Aventurada Virgem Maria, Auxílio dos Cristãos, venerada e invocada no Santuário de Nossa Senhora de She Shan, em Xangai. Nesta ocasião, desejo assegurar a recordação e expressar a proximidade aos nossos irmãos e irmãs na China, compartilhando suas alegrias e esperanças”.

O Papa também dirigiu um pensamento especial a todos aqueles que sofrem, pastores e fiéis, para que na comunhão e solidariedade da Igreja universal possam experimentar consolo e encorajamento. E fez um convite:

“Convido todos a elevar suas orações a Deus para que a Boa Nova de Cristo crucificado e ressuscitado possa ser proclamada em sua plenitude, beleza e liberdade, produzindo frutos para o bem da Igreja Católica e de toda a sociedade chinesa”.

Francisco deu ainda suas boas-vindas aos peregrinos de língua italiana, em particular, saudou as Missionárias da Caridade, o Comitê Organizador de Eventos Especiais de Roma, o Grupo de Oncologia Pediátrica da Policlínica de Bari, a Escola da Divina Providência de Roma. Finalmente, como de costume, dirigiu-se aos jovens, aos doentes, aos idosos e aos recém-casados.

“Hoje é a festa de Nossa Senhora, venerada sob o título de Maria Auxiliadora. Que Maria os ajude, queridos jovens, a fortalecer sua fidelidade a Cristo a cada dia. Que ela obtenha conforto e serenidade para vocês, queridos idosos e queridos doentes. Que ela os incentive, queridos recém-casados, a traduzir o mandamento do amor em suas vidas diárias".

O Santo Padre recordou que o Dia de Maria Auxiliadora é uma vocação mariana tão cara a Dom Bosco: uma saudação – disse - e uma recordação à Família Salesiana, agradecendo por tudo o que fazem pela Igreja.

E ainda sentimos tristeza pela martirizada Ucrânia:

“Eles sofrem tanto lá, não nos esqueçamos deles. Rezemos hoje a Maria Auxiliadora para que ela esteja próxima do povo ucraniano”.

Fonte: Vatican News

Deixe uma resposta

15 + dezesseis =