X CONENC: Representantes de Entidades Negras Católicas do Brasil se Reúnem em Salvador

A cidade de Salvador na Bahia acolheu nos dias 22 a 25 de setembro a X Conferência Nacional das Entidades Negras Católicas (CONENC).

Por Ibrahim Muinde Musyoka *

O encontro realizado no Centro de Treinamento de Líderes (CTL) em Itapuã, concluiu com uma celebração Eucarística presidida pelo Dom Zanoni Domettino Castro, Arcebispo de Feira de Santana e bispo referencial da Pastoral Afro-Brasileira e recém nomeado o bispo referencial da Pastoral Afro da América. Participaram do evento mais de 100 representantes e membros de Entidades Negras Católicas do Brasil, entre bispos, padres e leigos.

Foram três dias de leituras, palestras e reflexões guiados pelo Documento de Aparecida (DAp 95): “Comunidades Negras: Descolonizar as mentes, o conhecimento, recuperar a memória histórica, fortalecer os espaços e relacionamentos interculturais”.

A professora Dra. Patrícia Teixeira dos Santos refletiu junto com os participantes sobre “a visão geopolítica do Continente Africano e a presença na diáspora brasileira: Culturas, religiões e costumes” destacando a colonização religiosa africana destacando a função dos catequistas e os tesouros africanas que foram levados para Europa.

O papel do Santo Papa Paulo VI que visitando Uganda, um dos países africanos, percebeu a vida e esperança que a Igreja africana tinha a capacidade de oferecer no meio de uma crise mundial para a sobrevivência da Igreja e a fé. Isso resultou na criação do rito zairense que promove a participação dos africanos pela inculturação.

x-conenc-1

O Professor Padre Ari Antônio tratou o tema “Igreja em Processo Sinodal” destacando o espaço de diálogo e construção de uma sociedade antirracista. É importante potencializar o processo da participação de negros e negras na Igreja para enriquecer mais a vida da Igreja.

Afro e Indígena: A Igreja Católica No Brasil

O Professor Dr. Rosenilton Oliveira fez uma abordagem sobre o catolicismo afro-indígena.   Em sua fala destacou as marcas de brasilidade que vai constituindo o modo de expressão da fé católicas dos brasileiros.  Para isso, é preciso se pensar em um modo de Igreja encarnada, capaz de trazer para estrutura institucional da Igreja as marcas de brasilidades, a exemplo da filosofia africana centrada na centralidade “não há pensamento sem sabedoria”, a sabedoria do povo faz parte do modo celebrativo dos afrodescendentes. Esse modo de ser é demarcado pelas marcas sociais que vão dando feição a diversidade do povo brasileiro.

x-conenc-2

Participantes do CONENC em Salvador na Bahia.

Dom Sérgio da Rocha, cardeal arcebispo de São Salvador da Bahia e Primaz do Brasil fez uma visita ao encontro afirmando a importância dessa pastoral, elogiou o pandeiro que foi presenteado ao Papa Francisco, pela paroquia São Roque – Matinha dos Pretos da arquidiocese de Feira de Santana, durante a visita ad limina dos bispos em Roma.

* Padre Ibrahim Muinde Musy, IMC, é queniano e trabalha na Pastoral Afro na Paróquia Quilombola São Roque de Matinha dos Pretos, arquidiocese de Feira de Santana na Bahia.

Deixe uma resposta

18 + 2 =