Missionário da Consolata é nomeado cardeal pelo papa Francisco

Dom Giorgio Marengo em Arvaiheer, Mongolia – Foto: Flavia Müller

Dom Giorgio Marengo em Arvaiheer, Mongolia – Foto: Flavia Müller

Na manhã de domingo, 29 de Maio, o Papa Francisco anunciou a criação de 21 novos cardeais no próximo Consistório de 27 de Agosto. Entre eles está Dom Giorgio Marengo, Missionário da Consolata e Prefeito Apostólico de Ulaanbaatar, Mongólia.

Por Julio Caldeira

O Papa Francisco anunciou, no final da oração dominical do “Regina Coeli”, na festa da Ascensão do Senhor, que 21 novos cardeais serão criados no Consistório de 27 de Agosto.

Entre eles está Mons. Giorgio Marengo, Missionário da Consolata e Prefeito Apostólico de Ulaanbaatar, Mongólia. É o mais novo dos cardeais, com 48 anos, e vem de uma missão onde “há menos de 1.500 católicos em todo o país”, mas com uma grande e inspiradora missão de diálogo inter-religioso.

Num diálogo com os Missionários da Consolata da Casa Geral em Roma, o primeiro Missionário da Consolata a ser nomeado Cardeal descreveu a sua igreja da seguinte forma: “Somos um grupo heterogéneo de evangelizadores na fase inicial: 64 missionários (22 sacerdotes, 35 religiosas, 3 irmãos consagrados e 1 bispo) originários de 24 nacionalidades diferentes”. Depois acrescentou: “As conversões em massa, uma igreja em rápido crescimento como vemos em África, na Ásia é impensável e talvez nem sequer adequada à realidade. A nossa está mais próxima da Igreja dos Atos dos Apóstolos, onde as famílias foram convertidas e, de alguma forma, todos se conheciam e eram irmãos. Na Mongólia todos nos conhecemos uns aos outros”.

Mons.-Giorgio-Marengo-Mongolia-Consolata

“Este estilo de ser Igreja missionária, que está bem encarnada nesta pequena realidade eclesial que está criando raízes na Mongólia, começa a dar frutos”, concluiu o cardeal-eleito.

No anúncio, o Papa pediu a todo o povo que rezasse pelos novos cardeais. “Rezemos pelos novos cardeais, para que, confirmando a sua adesão a Cristo, me ajudem no meu ministério como Bispo de Roma para o bem de todo o fiel Povo Santo de Deus”.

Dom Giorgio Marengo IMC

Filho de Silvio e Ghiglia Larua, nasceu em 7 de Junho de 1974 em Cuneo, Itália, e viveu em Turim, onde cresceu entre estudos, práticas de esportes (esgrima) e nos escoteiros. Ingressou aos Missionários da Consolata em Turim. Estudou filosofia e teologia em Itália. Depois de completar o seu noviciado em Vittorio Veneto, fez a sua profissão religiosa como Missionário da Consolata em 25 de Agosto de 1996. Em 24 de Junho de 2000 fez a sua profissão perpétua em Roma e no dia 26 de Maio de 2001 foi ordenado sacerdote em Turim.

Giorgio foi o primeiro missionário da Consolata na Mongólia em 2003. Desde 2006 tem dedicado o seu ministério pastoral em Arvaiheer, a 430 km da capital Ulaanbaatar, uma região onde a Igreja Católica nunca esteve presente. Desde 2016, foi Conselheiro Regional dos Missionários da Consolata na Ásia e Superior para a Mongólia.

Dom Giorgio com monge budista – Foto: Missioni Consolata

Dom Giorgio com monge budista – Foto: Missioni Consolata

De 2000 a 2006 estudou na Pontifícia Universidade Gregoriana, onde obteve um mestrado e depois um doutoramento em missiologia, publicado sob o título “Sussurrare il Vangelo nella terra dell’eterno Cielo blu, riflessioni missiologiche sullevangelizzazione in Mongolia” (um estudo missiológico sobre a evangelização na Mongólia).

Em 2 de Abril de 2020 foi nomeado pelo Papa Francisco como Prefeito Apostólico de Ulaanbaatar (Mongólia), com caráter episcopal e sede titular de Castra Severiana, sucedendo a Dom Wenceslau Selga Padilla, que morreu em 2018. A sua consagração episcopal teve lugar no contexto da pandemia da Covid-19 no Santuário da Consolata em Turim (Itália) no dia 8 de Agosto de 2020, por imposição das mãos do Cardeal Luis Antonio Tagle, Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, assistido pelo Cardeal Severino Poletto e pelo Arcebispo de Turim, Dom Cesare Nosiglia. O seu lema episcopal é “Respicite ad eum et illuminamini” (Radiante são aqueles que a Ele recorrem). Será o primeiro Cardeal do Instituto Missionário da Consolata e também o primeiro Cardeal na história da Mongólia.

O recente processo de evangelização católica na Mongólia começou em 1991, quando a democracia foi estabelecida no país asiático, e os missionários católicos regressaram ao país desde que foram expulsos no final do século XIX. As relações diplomáticas entre a Mongólia e a Santa Sé foram retomadas em 1992.

De acordo com dados recolhidos pelo Professor Fernando Altemeyer, a Prefeitura Apostólica de Ulaanbaatar foi erigida no dia 8 de Julho de 2002. Tem uma área de 1.564.120 quilómetros quadrados. Dos 3,2 milhões de habitantes, apenas 1.354 são católicos, presentes em nove paróquias.

Novos Cardeais

“O Colégio dos Cardeais tem hoje 208 cardeais, dos quais 117 são eleitores e 91 não-eleitores. A partir de 27 de Agosto haverá 229 cardeais, 131 dos quais são eleitores”, informa o portal Vatican News.

Conheça os 21 novos cardeais que serão criados:

D. Arthur Roche – Prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos.
D. Lazzaro You Heung Sik – Prefeito da Congregação para o Clero
D. Fernando Vérgez Alzaga L.C., Presidente da Comissão Pontifícia para o Estado da Cidade do Vaticano e Presidente do Governador do Estado do Vaticano
D. Jean-Marc Aveline, Arcebispo de Marselha (França)
D. Peter Okpaleke, Bispo de Ekwulobia (Nigéria)
D. Leonardo Ulrich Steiner, O.F.M., Arcebispo de Manaus (Brasil)
D. Filipe Neri António Sebastião de Rosário Ferrão, Arcebispo de Goa e Damão (Índia)
D. Robert Walter McElroy, Bispo de San Diego (EUA)
D. Virgílio Do Carmo Da Silva, S.D.B., Arcebispo de Dili (Timor Leste)
D. Oscar Cantoni, Bispo Como (Itália)
D. Anthony Poola, Arcebispo de Hyderabad (Índia)
D. Paulo Cezar Costa, Arcebispo de Brasília (Brasil)
D. Richard Kuuia Baawobr M. Afr, Bispo de Wa (Gana)
D. William Goh Seng Chye, Arcebispo de Singapura
D. Adalberto Martínez Flores, Arcebispo de Asunción (Paraguai)
D. Giorgio Marengo, I.M.C., Prefeito Apostólico de Ulaanbaatar (Mongólia).

Foram também admitidos no Colégio dos Cardeais:

D. Jorge Enrique Jiménez Carvajal, Arcebispo Emérito de Cartagena (Colômbia)
D. Lucas Van Looy, S.D.B., Arcebispo Emérito de Gent (Bélgica)
D. Arrigo Miglio, Arcebispo Emérito de Cagliari (Itália)
Pe. Gianfranco Ghirlanda, S.J., Professor de Teologia
Mons. Fortunato Frezza, Cônego da Basílica de São Pedro.

Deixe uma resposta

quinze − 5 =