Bispo fala sobre a pandemia no Reino de Essuatini

A segunda onda da Covid-19 é a que mais afetou a população do país.

Por Redação

A pandemia de Covid-19 que atingiu o Reino de Essuatini (conhecido anteriormente como Suazilândia), um pequeno país próximo à África do Sul, pertencente à diocese de Manzini, toma maior proporção em sua segunda onda, diz dom José Luís Ponce de León, missionário da Consolata, bispo desta diocese: “acabou de terminar a segunda onda do vírus e é a que mais nos afetou, tanto em número de enfermos, como de mortos”.

bispo_da_diocese_de_Manzini_fala_sobre_a_pandemia_no_reino_de_eswatini_3Monsenhor Ponce de León ainda cita o triste acontecimento da morte do padre AlwynZothansanga, natural da Índia e membro dos Missionários de São Francisco de Sales, falecido no dia 22 de janeiro, aos 38 anos. “Nossa diocese, como família, também viveu o sofrimento da morte de um sacerdote missionário que chegou da Índia há poucos anos, ele tinha apenas 38 anos ”.

O bispo de Manzini destaca o apoio e ajuda recebida pela Conferência Episcopal Italiana com equipamentos e profissionais do hospital, clínica e hospício da diocese e diz, “a primeira ajuda foi com o equipamento de proteção individual, para quem trabalha na área da saúde, porque mesmo que a nossa presença seja pequena, somos conhecidos pelos nossos projetos de saúde e educação, a segunda foi pensar na alimentação, porque o bloqueio não só fez com que muitos ficassem em casa sem trabalhar, mas também provocou o fechamento de escolas que são a estrutura que garante a alimentação das crianças”.

Ele também mencionou o terceiro projeto através do abastecimento de caixas de coleta de água às residências. "Se é necessário lavar as mãos para lutar contra a Covid-19, como fazer quando não se tem água, por que não chega ou por que não chove? Ter caixas d'água permite que essas famílias comprem a água quando os caminhões chegam nas diferentes cidades ”, declara o bispo do Reino de Essuatini que também forneceu um rádio às famílias que não tinham, para que todos pudessem ter acesso à informação do governo sobre a pandemia e também para que as crianças possam acompanhar a transmissão das aulas escolares a partir de suas casas, “desta forma também conseguiremos garantir a educação destas crianças”.

Assista ao vídeo:

Com informações da Agência SIR

Deixe uma resposta

quatro + dezenove =