São Vicente de Paulo, um santo para as causas dos tempos atuais

São Vicente de Paulo é hoje para nós um exemplo de cristão que se engajou na construção e anúncio do Reino.

Por Fábio Pereira Feitosa

A história da humanidade é feita de continuidades, rupturas e adaptações, desta forma acabamos herdando os mais diferentes elementos de nossos antepassados, incluindo a devoção aos mais variados santos da Igreja. Assim, as devoções são elementos religiosos que ultrapassam o tempo e a barreira do esquecimento, tornando presentes homens e mulheres que entenderam e viveram profundamente o Mistério da Encarnação ao longo de suas vidas. Entre estes temos São Vicente de Paulo, um dos santos mais populares da história, cuja marca principal foi prática da caridade por meio de gestos concretos.

saovicentepaulo1Mas quem foi São Vicente de Paulo?
São Vicente de Paulo, nasceu na França no ano de 1581 em uma família de camponeses, sendo o 3º filho de cinco irmãos e foi ordenado sacerdote aos 19 anos. A conjuntura na qual o nosso Vicente encontrava-se inserido era marcada pelo avesso social e econômico, considerando que naquele período tínhamos a França como uma das mais importantes potências europeias, porém, grande parte de sua população era composta por miseráveis, homens, mulheres e crianças entregues ao completo abandono, tornando-se assim indigentes sociais, negligenciados pelos ricos e poderosos daquela época, que viviam em meio ao conforto e a todo tipo de luxo que o dinheiro e o prestigio social poderia obter. Ao contrário do que muitos pensam, São Vicente de Paulo não nasceu santo, a sua tão conhecida santidade só foi alcançada após uma longa jornada de purificação e desprendimento trilhado pelos caminhos da caridade, que o levaram a atuar em diferentes vias.

Como bem sabemos, atualmente vivemos em uma sociedade marcada pela busca (muitas vezes desenfreada) do ter, do poder e do prazer (em suas mais diferentes formas), desta maneira, São Vicente de Paulo por meio de seu exemplo de combate a tais tentações, e ao buscar conscientizar os mais abastados de sua época sob a importância dos pobres, buscando restituir a sua dignidade e protagonismo, antecipou-se ao Concílio Ecumênico Vaticano II e tornou-se uma importante fonte de inspiração para todos aqueles que doam de forma integral a sua vida na busca da efetivação dos mais diversos valores humanos, bem como trabalham no resgate da primazia de homens, mulheres e crianças que vivem em meio a total desordem.

Como podemos perceber, São Vicente de Paulo foi um homem à frente de sua época, soube escutar, interpretar e responder como ninguém os clamores do tempo e de seu povo. Nele encontramos uma caridade efetiva, que não fica apenas em palavras. Nele a caridade supera o conceito, manifestando-se em gestos palpáveis. Porém, estes não devem ser vistos como mero assistencialismo, mas como uma ajuda concreta aos mais necessitados que não fica restrita a entrega de alimentos ou de outros gêneros.

A ação de São Vicente de Paulo era guiada diretamente pelo Espírito Santo, que por meio de sua dinamicidade e criatividade o inspirava a buscar métodos de ação cada vez mais eficazes, assim, ele abandonou a busca de suas próprias realizações para aderir integralmente ao projeto do Reino. Para levar aos mais diferentes locais a Boa Nova, São Vicente criou a Congregação da Missão e a Companhia das Filhas da Caridade, bem como uma instituição de senhoras, as chamadas Damas da Caridade, que tinham como objetivo ajudar os mais pobres, desta forma, Vicente possuía uma visão conciliatória entre as classes, ele ia aos ricos com o intuito de conseguir verbas para as suas obras de evangelização e socorro as mais pobres, porém, ele não era submisso e nem convivente com os poderosos.

Vicente, foi na Igreja de sua época uma voz profética, que percebeu que muitos membros desta instituição viviam concentrados nas grandes cidades, em meio ao luxo, enquanto a maior parte do povo estava nas sarjetas entregue ao total abandono. Ao se debruçar sobre esta questão, ele percebeu que tal problemática passava também pela formação dos clérigos de sua época, assim, como parte integrante do seu projeto de auxílio aos mais pobres, ele se dedicou estruturar a formação nos seminários, para que estes fossem de fato espaços que formassem padres efetivamente comprometidos com o serviço aos mais pobres e não padres deformados pela busca de prestígio social e de riquezas.

Desta forma São Vicente de Paulo é hoje para nós um exemplo de cristão que se engajou na construção e anúncio do Reino. Sua voz é um exemplo que deve ecoar em nossos corações, para que assim como ele, nós possamos deixar para trás nossos medos, egoísmos e irmos ao encontro dos que sofrem, dos sem voz e vez.

*Fábio Pereira Feitosa é historiador e especialista em educação, atualmente desenvolve pesquisas sobre História da Igreja.

Deixe uma resposta

quatro × 4 =