Em Fórum Social Mundial, bispo ressalta papel da Igreja em defesa da saúde pública

Dom Roberto Paz Ferreria, participou do seminário Direitos Sociais – Saúde, Assistência e Previdência Social: Essenciais ao povo brasileiro, no dia 15 de março, dentro da programação oficial do Fórum Social Mundial, em Salvador, BA.

Por Rogéria Araujo

O Bispo Referencial Nacional da Pastoral da Saúde, da Diocese de Campos, Dom Roberto Paz Ferreria, participou do seminário “Direitos Sociais – Saúde, Assistência e Previdência Social: Essenciais ao povo brasileiro”, no dia 15 de março, dentro da programação oficial do Fórum Social Mundial, que ocorreu em Salvador (BA), de 13 a 17 de março. Em sua apresentação, dom Roberto falou sobre os desafios e compromissos da Igreja na garantia da saúde pública. O seminário foi uma atividade do projeto Direitos Sociais e Saúde: Fortalecendo a Cidadania e a Incidência Política, do qual a Pastoral da Saúde é co-requerente.

dom roberto paz 2“Na minha dupla condição de cidadão e religioso ao falar dos compromissos da Igreja, minha responsabilidade inicial é testemunhar e compartilhar o sonho de Deus sobre a vida humana e da Terra, que cristalizou no lema da Campanha da Fraternidade sobre a saúde pública ‘Que a saúde prevaleça sobre a terra’”, afirmou em sua saudação, no início do evento.

O bispo referencial também ressaltou que esta Igreja sempre estará ao lado dos enfraquecidos que, cada vez mais, estão à mercê da mistanásia social, da exclusão de uma saúde digna, e sofrendo a cultura do indiferente e do descarte. “Inspirados na compaixão e na justiça, assumimos a defesa do SUS, por ser na sua formatação coletiva, um dos sistemas de saúde pública mais democráticos, inclusivos e participativos”, disse. Lembrou, ainda, que foi desta preocupação com o acesso à saúde que, em 1986, surgiu a Pastoral da Saúde.

Acrescentou que a união está na boa vontade de fazer gerar vida plena, cidadania e controle social – elemento essencial para a participação popular exigir seus direitos. “Em razão disto, em profunda comunhão e solidariedade com o povo sofrido questionamos e nos posicionamos contra esta alavancada da privatização, dos desfinanciamento e desmonte do Sistema Único de Saúde”, completou.

O religioso trouxe ainda elementos da encíclica Laudato Si, do cuidado com a Casa Comum, com o planeta e com todos os que fazem parte do ambiente. Dom Roberto Paz compôs a mesa juntamente com a coordenação nacional do projeto Direitos Sociais e Saúde; representantes do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde, Conselho Nacional da Saúde; Delegação da União Europeia no Brasil, entre outros.

Rogéria Araujo é jornalista e assessora do projeto Direitos Sociais e Saúde: Fortalecendo a Cidadania e a Incidência Política.

Deixe uma resposta

17 − nove =