Dom Pedro Casaldáliga: 90 anos de vida e 50 de profecia...

O dia 16 de fevereiro 2018 é uma daquelas datas que não pode passar batida no turbilhão da história porque dom Pedro completa 90 anos de vida!.

Por Gianfranco Graziola

O dia 16 de fevereiro 2018 é uma daquelas datas que não pode passar batida no turbilhão da história, porque Dom Pedro Casaldáliga, um dos últimos pastores, profetas e mártires, completa 90 anos de vida!

Catalão de nascimento e há 50 anos no Brasil, vive ainda em sua simples casa na Prelazia de São Felix do Araguaia. Há muitos anos com Mal de Parkinson, Dom Pedro é ajudado no dia a dia por religiosos e religiosas agostinianos que o circundam de carinho.

pedrocasaldaliga1Por seu pastoreio no Araguaia, Dom Pedro ganhou renome internacional. Sempre ao lado dos peões, índios e posseiros em suas lutas em defesa da terra, foi ameaçado de morte várias vezes e teve até que deixar a Prelazia em 2012, escoltado, em busca de um abrigo seguro. Homenageá-lo, hoje, é como ‘resgatar as causas pelas quais ele viveu e ainda vive’, e que como uma profecia, meio século depois, são as mesmas do nosso atual Pontífice, Francisco.

Mas nada mais que uma declaração de Dom Pedro feita em 1995 na Praça de São Pedro e escrita no seu diário e no seu convite de ordenação episcopal:

“Tua mitra será um chapéu de palha sertanejo, o sol e o luar, a chuva e o sereno, o olhar dos pobres com quem caminhas e o olhar glorioso de Cristo o Senhor. Teu báculo será a verdade do Evangelho e a confiança do teu povo em ti. Teu anel será a fidelidade à nova aliança do Deus libertador e ao povo dessa terra. Não terás outro escudo senão a força da esperança e liberdade dos filhos de Deus, nem usarás outra luva que o serviço do amor”.

Afirmava ele: "um dos problemas, dos maiores desafios que a Igreja tem hoje, juntamente com a colegialidade real é a inculturação, o anúncio do Evangelho nas diferentes culturas, e evidentemente, especialmente nestas culturas periféricas da América Latina, da Ásia e de África. Na América Latina tivemos nestes últimos tempos a vantagem de Medellín, Puebla, Santo Domingos e no Brasil uma presidência da Conferência Episcopal muito lúcida e comprometida que tem possibilitado esta encarnação, esta inculturação... também devemos lembrar o seguinte, nós estamos em Igrejas novas, eu praticamente comecei do nada e deu para formar um grupo homogêneo de agentes de pastoral de uma linha só, dentro do espírito de Medellín... tivemos a oportunidade de formar comunidades, de entrar em pastorais específicas, logo se criou a Pastoral da Terra, antes o CIMI, Conselho Indigenista Missionário... quando eu venho a Roma, venho visitar Pedro e Francisco, e eu penso que a Igreja deveria conjugar Pedro e Francisco, a firmeza da fé, o testemunho dos mártires".

Homenagear Pedro nos seus 90 anos é resgatar as grandes causas pelas quais ele tem vivido e dito: “Minhas causas são mais importantes do que minha vida”.

Parabéns Dom Pedro, Ícone vivo da Igreja em saída!

Gianfranco Graziola, imc, é vice-coordenador nacional da Pastoral Carcerária.

Deixe uma resposta

três × cinco =