Campanha Missionária 2015: servir é missão do cristão

No mês de outubro, Mês das Missões, somos convidados a intensificar as iniciativas e ações missionárias. O tema da Campanha Missionária 2015 nos faz recordar as ações de Jesus: “Missão é servir”.

Por Camilo Pauletti*

campanha-missionaria25

A vida é missão. A Igreja peregrina é missionária por sua natureza e deve estar sempre em movimento, em saída. Presente em todo o mundo, a Igreja dialoga com as culturas, as religiões e os pobres, assim como proclama e testemunha profeticamente o Evangelho, seguindo sempre o mandato do Senhor: "Vão pelo mundo inteiro e anunciem a Boa Notícia a toda humanidade" (Mc 16, 15)

No mês de outubro, Mês das Missões, somos convidados a intensificar as iniciativas e ações missionárias. O tema da Campanha Missionária 2015 nos faz recordar as ações de Jesus: “Missão é servir”. Isso é reforçado pelo lema: "Quem quiser ser o primeiro seja o servo de todos" (Mc 10, 44). Com isso a Campanha nos motiva a continuar a própria ação de Jesus, o enviado do Pai que entrega sua vida no serviço.

Hoje, mais do que nunca, a missão precisa ser pensada e realizada no espírito e na prática do diálogo. Deus está presente antes de nossa chegada em qualquer realidade. Por isso o missionário é um colaborador na Missão de Deus. Nós somos instrumentos e nossos dons e capacidades devem ser colocadas a serviço de quem mais precisa.

Na ação missionária existe uma troca mútua de presentes entre os missionários e as pessoas com quem eles trabalham. Missão não é apenas fazer coisas para as pessoas. É, em primeiro lugar, uma questão de ser com as pessoas, e também ouvi-las e compartilhar com elas. Os cristãos em missão inspiram, desafiam, encorajam e iluminam. Em diversos contextos os missionários e missionárias são profetas e guias de trilhas na jornada da vida.

Lembramos que missão é doação. A generosidade muda tudo em alegria, o egoísmo muda tudo em tristeza. A solidariedade com os necessitados e carentes é o primeiro passo para iniciar nova vida, e sem desprendimento não há verdadeira conversão.

Devemos motivar as pessoas para o sacrifício, a doação e a oferta. Quantos nos agradecem por darmos oportunidade de oferecerem seus frutos e compartilhar com aqueles que têm maior necessidade. Quando os cristãos são conscientizados do valor das atividades missionárias, colaboram com gosto. Este gesto de dar, de oferecer algo de si, traz uma imensa alegria e conforto. Por isso, somos responsáveis por esta motivação. Os dons crescem e se multiplicam quando são partilhados com os outros, mas quando os seguramos só para nós mesmos eles enfraquecem e perdem valor. Aquele que não sabe doar daquilo que é e tem torna-se miserável.

A alegria de servir faz a pessoa ser mais feliz e realizada. Em nossa caminhada encontramos muitos missionários sejam leigos, consagrados, pessoas simples que servem e amam os pobres, fazendo de suas vidas uma missão, um louvor ao Senhor da vida. O testemunho de pessoas que se entregam, se gastam e se doam em favor de outros, marca a vida. Os bons exemplos de doação em favor dos pequenos devem ser nossas referências. Um cristão só é feliz se souber servir.

Neste final de semana, dias 17 e 18 de outubro, será realizada a Coleta do Dia Mundial das Missões. As ofertas devem ser integralmente enviadas às Pontifícias Obras Missionárias (POM) que as repassam ao Fundo Universal de Solidariedade para apoiar projetos em todo o mundo. Sejamos generosos na cooperação com a missão de Deus em todo o mundo.

*Padre Camilo Pauletti, é diretor das Pontifícias Obras Missionárias (POM).

Deixe uma resposta

20 − dezoito =