Bem-aventurada Ir. Irene Stefani, rogai por nós!

Ir. Irene Stefani faleceu no Quênia, dia 31 de outubro de 1930, deixando um exemplo de dedicação que lhe rendeu o título de "mãe misericordiosa".

 

por Redação

No dia 23 de maio, Irmã Irene Stefani (1891-1930), missionária da Consolata foi beatificada no Quênia, África, junto ao povo que tanto amou como enfermeira e evangelizadora. Celebramos hoje, 31 de outubro, 85 anos de sua morte.

beata_irene_stefaniA causa de beatificação de irmã Irene começou em março de 1984 com a abertura do processo diocesano culminando com a aprovação de um milagre, 30 anos depois, em junho do ano passado, 2014.

Nascida em Anfo, norte da Itália, em 1891, a missionária da Consolata foi uma das primeiras religiosas a entrar na congregação, tendo sido recebida pelo próprio fundador, o Bem-aventurado José Allamano. Logo após o noviciado, partiu para o Quênia, em 1915, onde se dedicou aos doentes e à formação das jovens.

Faleceu com apenas 39 anos, no dia 31 de outubro de 1930, deixando um exemplo de dedicação que lhe rendeu o título de “mãe misericordiosa”.

O postulador da causa de beatificação da irmã Irene Stefani, o missionário da Consolata, Gottardo Pasqualetti conta como era a relação da irmã com as pessoas: “acolhia a todos, a qualquer hora do dia ou da noite. Uma força interior impelia-a a ir ao encontro das pessoas mais necessitadas, que tratava com respeito, delicadeza, doçura e afabilidade, sem fazer distinção”, afirmou. “O povo recorda-a como mãe, aquela que quer bem a todos, a misericórdia personificada: a mãe misericordiosa”, explicou.

Sendo enfermeira, irmã Irene foi contagiada por um paciente e morreu de sua enfermidade.

Bem-aventurada irmã Irene Stefani, rogai por nós!

Fonte: Revista Missões

Deixe uma resposta

4 × 1 =