Religiosa fala de experiência missionária em Moçambique

CNBB

A leiga missionária Flor de Maria Nascimento, há quatro meses na diocese de Lichinga, norte de Moçambique, pelo projeto missionária além-fronteiras dos Regionais Nordeste 4 (Piauí) e 5 (Maranhão) fez uma breve avaliação dos trabalhos desenvolvidos naquele país.

Além de Flor de Maria, a equipe missionária é composta por outras irmãs capuchinhas (brasileiras), pelos leigos para o desenvolvimento (portugueses), padres missionários da Consolata, pelas Irmãs da Imaculada Conceição (moçambicanas) e Postelianas (brasileiras e moçambicanas). Todos trabalham na paróquia de São Miguel Arcanjo, que está sob a responsabilidade dos padres da Consolata. A equipe se reúne a cada 15 dias para programar e avaliar as atividades.

De acordo com irmã Flor de Maria, são desenvolvidas atividades com as mulheres, fazendo pequenas oficinas de corte e costura, artesanato, tricô e crochê e outros. Com os jovens desenvolvem trabalhos na área da evangelização, pastoral universitária, alfabetização e oficinas de leituras e com as crianças, além de acompanhamento na catequese e assessoria a grupos da Infância e Adolescência Missionária.

"As dificuldades encontradas (malárias, parasitas e outras enfermidades que surgem) são pouca coisa diante das oportunidades, aprendizagem e alegrias proporcionadas pela convivência com este povo. Louvo e agradeço a Deus por esta oportunidade que me foi dada e que deixa o desejo de querer continuar mais e mais", declarou  Flor.

A equipe também faz acompanhamento nos postos de saúde da diocese e se dedica ao atendimento aos doentes através do método da bioenergética e o tratamento pelas plantas medicinais.

Fonte: www.cnbb.org.br

Deixe uma resposta

dezoito − dois =