CEBs convoca a juventude para a Missão

Karla Maria

Com o tema: Jovens, Missão na Cidade, a Comissão das CEBs - Comunidades Eclesiais de Base, da Região Episcopal Brasilândia, reuniu 116 jovens, no dia 18 de outubro, na Paróquia Nossa Sra. Mãe de Deus, na Freguesia do Ó, para o IV Retiro de Jovens das CEBs.

Com o objetivo de aproximar a juventude da caminhada da Igreja, conectada à realidade da cidade de São Paulo, a Comissão das CEBs contou com a assessoria da missionária xaveriana, irmã Elena Conforto e com o monitor de crisma do Setor Nova Esperança João Sérgio (o Serginho), também membro da comissão regional.

Serginho é músico, e foi responsável pela animação e condução do retiro. Elaborou e apresentou um filme com a história da capital e através dele, os jovens levantaram os problemas mais latentes da cidade. A partir do VER, eles puderam com a ajuda da irmã Elena JULGAR: Como é ser jovem neste contexto? "O retiro quer ajudar a uma espiritualidade atuante para uma ação transformadora que vise de maneira especial a missão dos jovens na cidade", destacou a religiosa.

Alimentados pelo Evangelho, pelo 10° Plano Pastoral da arquidiocese e à luz do 12° Intereclesial das CEBs, os jovens partiram para os trabalhos em grupo e a partir de suas realidades, também distintas dentro dos setores, apresentaram suas propostas, o AGIR, para a "missão na cidade". A resposta foi simples: "nós sabemos, o caminho é o amor", o amor pela cidade, a mobilização da comunidade para solucionar os problemas e a teimosia, a persistência de não desistir dos propósitos.

A síntese dos trabalhos em grupo destacou uma característica do jovem nos dias de hoje, uma característica da sociedade como um todo. A cidadania e o engajamento nos movimentos sociais, não são vistos como instrumentos de transformação da realidade local. "Pode ser que esta geração sinta isso distante, a questão de cidadania e de consciência é uma questão também cultural", explicou irmã Elena. Esta constatação explica a preocupação das CEBs em envolver, formar e informar a juventude e com ela caminhar

A história de lutas da região Brasilândia, de conquistas nos últimos 20 anos, de "Santa Teimosia", como já definiu em outro momento padre Manzato, serve de lição para os jovens, como afirma Luciano Mota, 22 anos, um dos participantes do retiro. "A Brasilândia tem muitas lutas, como a do "Lixão", quando o povo se preocupa com a juventude, a juventude fala, a juventude não é essa bagunça, não é só balada, aqui tem muito jovem que se preocupa com uma cidade melhor, com um bairro melhor. Eu me entusiasmo em ver jovens de quase todos os setores aqui, me motivo e mostro isso, eu tento contagiar os outros, porque devemos ser multiplicadores de tudo o que é bom", concluiu Luciano que faz parte da paróquia Nossa Senhora das Graças, de Perus.

As CEBs tem uma mentalidade de Igreja participativa, onde leigos e leigas assumem sua vocação eclesial, por conta do próprio batismo. Hoje, diferente da década de 70, ela não se define apenas por suas estruturas físicas mas sim, por serem comunidades que unem a fé e a vida e não separam a existência religiosa da existência cotidiana. Por isso a preocupação em envolver a juventude, desde já, na Missão.

O IV Retiro foi encerrado com a Eucaristia, celebrada pelo padre José Renato, assessor regional das CEBs. Ele destacou a importância da juventude para a caminhada da igreja, destacou o trabalho de toda a comissão na infra-estrutura do retiro, que como de costume, acontece em Mutirão. Ao final, os jovens receberam o anel de Tucum, símbolo do compromisso daqueles que assumem seu batismo e foram enviados à Missão na Cidade.

Fonte: Revista Missões

Deixe uma resposta

16 + dezessete =