Dom Aloísio Lorscheider: ??A Ternura de um Pastor??

Geovane Saraiva *

O Livro do Pe Geovane Saraiva - "A ternura de um Pastor" está quase pronto. Vamos, com a graça de Deus, fazer um belo vôo. Não é um vôo qualquer, mas sim voar com o Cardeal Lorscheider. Sua vida toda de doação é uma dádiva, é dom de Deus! Ele foi um exemplo que devemos seguir. Sua vida toda, colocada, com muita disposição interior, ternura e coerência, a serviço do Reino, construindo a esperança, colocando remédio em todo tipo de ferida, numa palavra: animando as pessoas marcadas pelo sofrimento, animando os desanimados.

Em Dom Aloísio, com o nosso humilde trabalho, iremos reviver a sua vida e a sua paixão por Jesus Cristo e seu Reino e, colocar diante dos nossos olhos, na nossa mente e no nosso coração, com a sua vida e o seu exemplo, a figura Jesus, o Bom Pastor, que deu a vida por suas ovelhas.

Eis o que ele disse ao ser transferido do Sul do Brasil para o Nordeste: "[...] Eu levava a fé ao povo como se leva uma receita já pronta, sem refletir mais detidamente sobre o seu significado. [...] Eu era mais professor e dirigente de culto do que realmente evangelizador dentro da realidade do povo. No nordeste (Ceará - Fortaleza), em contato com outro tipo de Comunidade Eclesial de Base, nascida da necessidade de buscar solução cristã para os problemas concretos da vida, o meu ministério episcopal, na sua tríplice função de ensinar, santificar e governar, foi adquirindo outra feição".

Vejamos o que os nossos pastores e outras pessoas disseram a seu respeito:
Dom José Antonio disse: "Dom Aloísio realizou até o fim o que a inspiração divina lhe tinha proposto como luz para a sua vida: Na cruz a salvação e a vida. Identificado com o Senhor em sua cruz, foi instrumento de salvação e vida".

A Palavra de Dom Geraldo Lírio da Rocha sobre Dom Aloísio: "A gratidão toma conta de nossos corações ao celebramos nesta noite de 08.04.2008 a homenagem da Conferência dos Bispos do Brasil. Homem do equilíbrio, que se manifestava na vida diária através da inteligência e da humildade [...] Entre a ação e oração, entre a doutrina e a caridade, entre o poder e o serviço, entre um olhar exigente e um coração bondoso".

Dom Sinésio Bohn no seu artigo: "Seu amor a verdade, o apego ao Evangelho como critério de vida e de pastoreio, sua capacidade de dialogar e o amor aos pobres. Permaneceu humilde, serviçal, irmão entre irmãos. Morreu com o habitual sorriso nos lábios. Um homem bom, íntegro, discípulo de Cristo. Um exemplo a seguir".

O Senador Pedro Simon falou de Dom Aloísio assim: "[...] sua voz, naturalmente doce, alternava-se apenas quando era preciso confrontar os vendilhões da justiça [...] [...] quando todos os jardins da democracia corriam o risco de ser alvo de bombas atiradas pelos olhares fixos da repressão. Foi exatamente nesse momento da história, que a voz de Dom Aloísio se alternou. Ecoou pelos corredores das prisões [...]".

Quando ele se tornou bispo emérito de Aparecida, veio a pergunta: O que o senhor vai fazer? Respondeu: "Sou um simples frade menor e vou fazer o que o meu provincial mandar, porque a obediência me torna livre".

"Ele foi o Cardeal que mais ajudou os movimentos populares no Ceará. Ele foi sempre acolhedor, na sua tranqüilidade e amabilidade, recebendo os movimentos populares e procurando intermediar, da melhor maneira possível [...] (Dep. Chico Lopes).

É uma pequena contribuição para a história do Ceará, do nordeste, do Brasil e do mundo inteiro, porque nosso saudoso amado Pastor era, a exemplo do fundador da sua ordem, o pobrezinho de Assis, cidadão universal, cidadão do planeta.

É por aí que vamos voar. Aguardem!

* Geovane Saraiva é sacerdote da arquidiocese de Fortaleza, pároco da paróquia Santo Afonso. E-mail: pegeovane@paroquiasantoafonso.org.br

Fonte: Geovane Saraiva / Revista Missões

 

Deixe uma resposta

quatro × 1 =