Uma vida em missão a serviço do próximo

Rosangela Barboza *

Acontecerá em Aparecida (SP), de 1º a 4 de maio, o 2º Congresso Missionário Nacional, momento de reflexão sobre a ação dos missionários brasileiros, que somam cerca 1.900, a maioria atuando nas Américas e na África. Padre Jaime Carlos Patias, diretor da revista Missões e integrante da assessoria de imprensa do 2º Congresso, fala sobre o evento e o que significa ser um missionário.

FCOnline - Aparecida (SP) vai receber o 2º Congresso Missionário, de 1 a 4 de maio. Qual é objetivo desse encontro?

Padre Jaime - É reforçar a animação e a cooperação missionária, sobretudo, daqueles que estão comprometidos com a ação missionária nos Comires (Conselhos Missionários Regionais). A expectativa é que 500 delegados participem do evento representando a dimensão missionária dos 17 Regionais da CNBB.

O 2º Congresso Missionário Nacional é organizado pelo Comina (Conselho Missionário Nacional), POM (Pontifícias Obras Missionárias), CNBB e CRB (Conferência dos Religiosos do Brasil); visa ainda, também, preparar os missionários para o 3º Congresso Missionário Americano e 8º Congresso Missionário Latino-americano (CAM3 - Comla8), a realizar-se em Quito, Equador, em agosto deste ano.

FCOnline - Qual é o tema do congresso e como está organizado?

Padre Jaime - O tema é "Do Brasil de Batizados ao Brasil de Discípulos Missionários Sem-Fronteiras" e lema: "Igreja do Brasil: escuta, segue e anuncia". A reflexão pretende estimular, educar e celebrar o compromisso dos cristãos com a Missão universal da Igreja, como Missão ad Gentes em ação missionária além-fronteiras, diferente da atenção pastoral ordinária. Além de três grandes conferências estão previstos dez mutirões, espaços de estudo para refletir sobre diversos temas (Veja abaixo).

FCOnline - O que é ser um missionário? O que faz uma pessoa se dispor a ir a locais distantes e servir a outras culturas e povos?

Padre Jaime - Com 14 anos de vivência fora do Brasil, longe da família e do ambiente cultural, na Colômbia, Inglaterra e Moçambique posso falar a partir da minha experiência. Acredito que a origem da Missão se encontra em Deus que confia seu Plano de salvação em Jesus no Espírito Santo. Movida pelo mesmo amor que Deus tem para com a humanidade, a pessoa que se dispõe a ser discípulo missionário de Jesus, encontra forças na própria fonte da Missão que é Deus.

A disposição vem também da comunidade de vida e trabalho.O missionário é uma pessoa com o coração cheio de Deus, um coração universal, compassivo para com a humanidade, nos mais diversos povos e culturas, riqueza da Criação. Por isso o missionário é capaz de deixar a sua terra, esvaziar-se de si mesmo, das suas seguranças, das suas certezas, para partir com o coração livre e leve, disposto a partilhar experiências de fé e vida, dar e receber, falar e ouvir, assumindo tudo aquilo que a Missão exigir: aprender novas línguas, adaptar-se aos novos ambientes culturais, sujeitar-se a doenças, partilhar alegrias e desafios do povo que vai servir.

FCOnline - Como se forma o missionário?

Padre Jaime - Além dos estudos acadêmicos de Teologia, Filosofia, Ciências Religiosas, humanas e outras ciências os missionários e missionárias recebem formação específica na área de Missiologia e aprendem a cultivar uma forte espiritualidade missionária. Muita oração e escuta da Palavra de Deus. Isso vale tanto para padres e religiosas quanto para leigos missionários. Hoje, estudar Antropologia cultural e Ciências sociais é indispensável para compreender as diversidades culturais e sociais que envolvem a Missão. É muito importante também, conhecer a língua local e aprofundar-se na cultura para dialogar com o povo. Contudo, todos os estudos de nada valem se o missionário não for capaz de amar o povo e respeitar o diferente.

FCOnline - O Brasil possui quantos missionários? E qual o perfil deles?

Padre Jaime - Segundo dados do site Além Fronteiras (www.alemfronteiras.org.br), o Brasil tem cerca de 1.900 missionários e missionárias além-fronteiras, sendo que 98,5% pertence a Institutos ou Congregações religiosas.

Apenas doze (12) são padres diocesanos, 9 leigos e 2 bispos. Quanto ao gênero: 78,89% (1.500) feminino e 19,04% masculino. Mesmo encontrando-se além-fronteiras, não significa que todos atuem em situação de primeira evangelização, ou seja, na Missão ad Gentes, entre os povos não evangelizados. A grande maioria encontra-se em ambientes cristianizados, na pastoral de manutenção ou até mesmo, a serviço de suas ordens religiosas, que são ao todo, 250.

FCOnline - O que é missão além-fronteiras?

Padre Jaime - É aquela que se realiza fora das fronteiras geográficas, culturais ou sociológicas. Implica sair do ambiente da paróquia, diocese, país ou continente, num trabalho de primeira evangelização, mas também entre cristãos, no diálogo ecumênico e inter-religioso, ou em situações de exclusão e pobreza.

FCOnline - Qual é a presença desses missionários brasileiros por continente?

Padre Jaime - Nas Américas são 703 missionários, o que corresponde a 36,96% do total. Em seguida, vêm a África com 564, Europa com 499, Ásia com 94, Oceania com 12. Os países com maior número de missionários brasileiros são Itália com 332, Moçambique 190, Angola 118, Bolívia 114 e Argentina 109. Na Ásia, o Timor Leste abriga o maior número, com 15 missionários.

FCOnline -Quais seriam as principais características de uma Igreja com forte consciência missionária?

Padre Jaime - Seria uma Igreja comunidade discípula de Jesus, guiada pelo Espírito e missionária para a humanidade. Nela os cristãos procuram ter as mesmas atitudes de Jesus, que via as dores do povo e sentia compaixão. A Igreja, povo de Deus, com seus pastores, vive o mesmo discipulado de Jesus. Ora e escuta o amor e o sonho de Deus, sua compaixão por toda a humanidade. Hoje também o Espírito do Senhor enche toda a terra e a Igreja. Ele age a partir de dentro, impulsiona como fez com Jesus no Batismo, no anúncio do Reino. Deixar-se levar pelo Espírito é acolher o novo chamado missionário da Igreja atual e suas propostas para o mundo. A comunidade que foi enviada por Jesus e foi entusiasmada por seu Espírito evangeliza todos os povos. A Evangelização dirige-se à sociedade e às culturas; à própria Igreja e ao mundo enquanto humanidade, casa comum. Conduzida pelo mesmo Espírito, protagonista da Missão, essa Igreja anuncia o Reino de Deus em todas as nações.

FCOnline - Como as paróquias e dioceses pelo Brasil podem acompanhar o desenrolar desse evento eclesial?

Padre Jaime - É importante ressaltar o papel dos delegados que participarem do Congresso. Eles serão os multiplicadores da reflexão com iniciativas locais coordenadas pelos Conselhos Missionários. Durante o Congresso, as paróquias do país estão convocadas a promover iniciativas e orações para envolver suas comunidades na Missão. Os cristãos podem também acompanhar o evento através dos Meios de Comunicação presentes em Aparecida.

Veja os temas do 2º Congresso Missionário:

"O significado do caminho missionário da América Latina, do Vaticano II até Aparecida"; "A formação da comunidade como discípula e missionária sem-fronteiras"; "A missão para a humanidade como responsabilidade dos ministérios ordenados nas Igrejas locais"; "Os consagrados como presença profética da Igreja missionária".

Outros temas em pauta são: "Perspectivas de evangelização para a missão dos leigos e das famílias diante dos novos desafios do mundo globalizado"; "A Infância e a Juventude missionárias: sementes de uma nova humanidade"; "Discípulos e missionários da Amazônia para o mundo"; "Comunicação e missão"; "Diálogo ecumênico, inter-religioso e intercultural" e "Migração como caminho de evangelização".

Spots para rádio e web sites sobre o 2º Congresso Missionário Nacional já estão disponíveis no site www.revistamissoes.org.br

* Rosangela Barboza é jornalista, Família Cristã Online - FCOnline.

Deixe uma resposta

dezesseis − onze =