Vaticano apresenta o logo do Jubileu de 2025

Jubileu de 2025 tem como tema “Peregrinos da Esperança”; coletiva na Santa Sé trouxe reflexões sobre iniciativas e planos do Ano Santo.

Por Redação, com informações de Vatican News
Foto: Thulio Fonseca

Em uma coletiva de imprensa realizada em 28 de junho de 2022, na Sala Regia do Palácio Apostólico do Vaticano, foi apresentado o logotipo oficial para o Jubileu de 2025. Os preparativos do Ano Santo, que terá como lema “Peregrinos da Esperança” estão a cargo do órgão vaticano para a promoção da Nova Evangelização, sob presidência de Dom Rino Fisichella.

O arcebispo explicou que, à medida que começam os preparativos na Igreja para o Ano Santo, seu departamento lançou um concurso, aberto a todos, para a criação do logotipo. Um total de 294 inscrições foram recebidas de 213 cidades e 48 países diferentes, disse ele, observando que os participantes tinham idades entre 6 e 83 anos.

“De fato, muitos desenhos feitos à mão foram recebidos de crianças de todo o mundo, e foi realmente emocionante olhar esses desenhos que eram fruto da imaginação e da fé simples.”

Durante o processo de escolha do desenho, os trabalhos foram identificados apenas por um número para que o autor permanecesse anônimo e em 11 de junho, o arcebispo Fisichella apresentou os três projetos finais ao Papa Francisco para selecionar aquele que mais o impressionou. “Depois de olhar os projetos várias vezes e expressar sua preferência, o projeto de Giacomo Travisani foi escolhido”, disse o arcebispo Fisichella.

logo-jubileu-2025-divulgacaoGiacomo Travisani, presente também esta tarde na coletiva, refletiu sobre o que o motivou. Ele disse como imaginou todas as pessoas seguindo juntas, capazes de avançar “graças ao vento da Esperança que é a Cruz de Cristo e o próprio Cristo”.

O logotipo mostra quatro figuras estilizadas para indicar toda a humanidade dos quatro cantos da terra. Cada um se abraça, indicando a solidariedade e a fraternidade que deve unir os povos. A primeira figura está agarrada à Cruz. As ondas subjacentes são agitadas para indicar que a peregrinação da vida nem sempre está em águas calmas.

Porque, muitas vezes, as circunstâncias pessoais e os eventos mundiais exigem um maior senso de esperança, diz uma descrição do logo, a parte inferior da Cruz é alongada tornando-se uma âncora, que domina o movimento das ondas, sabendo que as âncoras muitas vezes têm sido usadas como metáforas para esperança.

A imagem mostra como o caminho do peregrino não é individual, mas comunitário, com os sinais de um dinamismo crescente que se aproxima cada vez mais da Cruz.

“A Cruz não é estática”, sugeriu Fisichella, “mas dinâmica, inclinando-se e encontrando a humanidade como se não a deixasse sozinha, mas oferecendo a certeza de sua presença e a certeza da esperança”.

Na Igreja, um Jubileu, ou Ano Santo, é um grande evento religioso. Um Jubileu é “ordinário” se cai após o período habitual de 25 anos, e “extraordinário” quando é proclamado por algum evento notável.

O último Jubileu ordinário aconteceu no ano 2000 durante o pontificado do Papa São João Paulo I. Em 2015, o Papa Francisco proclamou um Ano Santo Extraordinário da Misericórdia.

Fonte: Vatican News

Deixe uma resposta

3 × dois =