O Brasil não tem salvação

Relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) diz que já estamos mergulhados nas mudanças climáticas.

Por Roberto Malvezzi (Gogó)*

O que era uma piada do Papa Francisco, agora virou profecia. Não pela cachaça, nem pela pouca oração, mas pelo tamanho da estupidez que tomou conta do Brasil.

MineradorasO relatório do IPCC nos diz que já estamos mergulhados nas mudanças climáticas: secas, enchentes, ondas de calor, ondas de frio, furacões, tempestades, com o consequente impacto nas comunidades e países mais pobres e vulneráveis, com aumento de doenças, fome, sede e miséria. O que antes era esperado para o fim do século, depois para a metade do século, agora já se confirma e deve chegar ao ápice já em 2030.

O Pantanal já perdeu 75% de suas águas desde 1985. Uma grande vitória do agronegócio brasileiro, com sua soja, seu milho, seu gado e todas as suas monoculturas.

No geral o Brasil perdeu 15% de suas águas doces em 30 anos. Vitória complementar dos devastadores da Amazônia e do Cerrado. A Mata Atlântica já tinha sido destruída. E Caatinga vai sendo destruída a conta gotas, assim como cada gota de chuva que cai sobre nós.

O desmatamento da Amazônia cresceu 51% em relação ao mesmo período anterior. Portanto, a política de devastação de Bolsonaro/Sales vai atingindo plenamente a sua meta, mas o processo já vinha desde a década de 70 do século passado com a ocupação da Amazônia nos padrões de desenvolvimento do Regime Civil-Militar.

Um deserto do tamanho da Inglaterra avança sobre o Semiárido Brasileiro. Resultado do desmatamento para a agricultura e pecuária extensivas. Cerca de 13% do território do Semiárido já estaria desertificado e a perspectiva é de ampliação desse processo de extinção da vida, segundo o mesmo IPCC (https://www.bbc.com/portuguese/brasil-58263344).

A maior seca dos últimos 91 anos se abate sobre a região Sudeste e os sulistas e sudestinos insistem em levar seu modelo de desenvolvimento para a Amazônia, para o Pantanal, para o Cerrado e para o Oeste Baiano.

Um Senhor de cabeça branca, vice-governador da Bahia, em um vídeo exalta uma empresa no Oeste Baiano por “suprimir a vegetação de 25 mil hectares” e implantar um projeto de irrigação no município de Barra, onde estão os Brejos, verdadeiros “oásis” em território brasileiro.

Hoje se fala em múltiplas inteligências, inclusive a emocional. Olhe para o presidente da República e dê uma nota de zero a dez para sua inteligência emocional, sem falar na capacidade de raciocínio.

Para completar, cinco ex-presidentes vão perguntar aos generais se eles estão querendo dar um golpe ditatorial no Brasil. É o avesso do avesso, do avesso, do avesso.

Parafraseando o Papa Francisco, o Brasil não tem salvação, é muita estupidez e pouca inteligência.

*Roberto Malvezzi (Gogó) é agente da Comissão Pastoral da Terra.

Deixe uma resposta

14 + quatro =