Voz dos que não têm voz

Geovane Saraiva *

À luz do Evangelho, nosso livro "Voz dos que não têm voz", quer ajudar o povo de Deus a perceber os magnânimos gestos de amor do Sumo Pontífice, que na sua ternura e bondade é o "Angélico Pastor, Em ti nós vemos o doce Redentor. A voz de Pedro na tua o mundo escuta, não vencerão as forças do inferno, mas a verdade, o doce amor fraterno!" (Hino do Vaticano). Ao afirmar "Não tenho ouro nem prata, mas trago o que de mais precioso me foi dado: Jesus Cristo!". Isso ajuda-nos a compreendê-lo, quando preside os atos litúrgicos na Basílica de São Pedro e em sua fala, quando celebra na Capela Santa Marta. O faz ainda, quando viaja aos países pobres da terra e recebe autoridades e procura o diálogo sincero, acalentando no mais íntimo de seu coração, o sonho de um mundo fraterno e solidário. Um mundo, verdadeiramente de irmãos. E também no seu sonho de esperança e de um mundo em que a humanidade possa experimentar a vida com maior encanto. E no seu sentido mais largo e profundo, o nosso querido Papa Francisco está trabalhando na elaboração de sua nova Encíclica: onde fala sobre ecologia e meio ambiente, querendo dizer-nos, que somos chamados a dialogar com todas as realidades do planeta, começando com a própria natureza.

Nosso humilde trabalho é fazer com que a esperança vivida e anunciada pelo Augusto Pontífice se manifeste como ação salvífica - fruto da força e ação do Espírito Santo de Deus no mundo, no qual estamos inseridos numa didática repleta de graça. De tal modo, para que possamos contribuir para cessar as resistências e ventos contrários ao projeto do Criador e Pai. Como é maravilhoso e salutar perceber quando as pessoas se sentem envolvidas em luz e confiantes na proteção divina, tal como rezamos no Livro Sagrado: "O Senhor é minha luz e salvação; de quem eu terei medo? O Senhor é a proteção de minha vida; perante quem eu tremerei?" (cf. Sl 27,1). Não esqueçamos São João da Cruz, a nos assegurar que "No entardecer da vida seremos julgados pelo amor", propondo-nos um exigente programa de vida.

Nestes dois anos, o Espírito Santo de Deus não cessou de conduzir os passos do Papa Francisco, fazendo-se irmão e amigo dos peregrinos, migrantes, refugiados e sofredores de toda natureza; levando a esperança aos mesmos. Estes, que são marcados que pela exclusão, ausência de expectativa e empobrecimento sempre maior, estando, portanto tudo que dele vem em estreita sintonia com o Concílio Vaticano II, na seguinte afirmação: "Não há realidade alguma verdadeiramente humana que não encontre eco no coração do discípulo de Cristo" (cf. GS 1). Nosso livro Voz dos não têm voz, quer colocar na mente e no coração do povo de Deus a pessoa de Jesus de Nazaré, na sua missão de salvar e saciar a fome da pessoa humana, imagem e semelhança do nosso bom Deus, mas de um modo integral, radicalmente presente no Sucessor de Pedro.

Para concluir, relembremos mais um dos inúmeros gestos do amor do Santo Padre, que podem ser apreciados e compreendidos em "Voz dos que não tem voz". Em 24 de maio de 2014, o Papa Francisco visitou o local do Batismo de Jesus e rezou pela conversão de quem alimenta a guerra, nas seguintes palavras: "Peço a Deus onipotente e misericordioso que nos ensine e a todos a caminhar na Sua presença, com a alma e com os pés descalços, o coração aberto à misericórdia divina e ao amor pelos irmãos. Assim, Deus será tudo em todos e reinará a paz. Obrigado por oferecerem à humanidade este lugar de testemunho". Amém!

*Geovane Saraiva é escritor, blogueiro, colunista, vice-presidente da Previdência Sacerdotal e Pároco de Santo Afonso, Parquelândia, Fortaleza-CE - geovanesaraiva@gmail.com

Fonte: Revista Missões

Deixe uma resposta

treze − 4 =