Igrejas Cristãs se manifestam quanto a visita do presidente do Irã

CONIC

Manifestação do CONIC - Conselho Nacional de Igrejas Cristãs no Brasil, encaminhada ao Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Celso Amorim, por ocasião da visita do presidente Mahmoud Ahmadinejad da República Islâmica do Irã.

Em nome das Igrejas-membro do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil,quais sejam, Igreja Católica Apostólica Romana (CNBB), Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, Igreja Presbiteriana Unida do Brasil e Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia, queremos saudar Vossa Excelência com votos de estima e consideração. Aproveitamos a ocasião para tecer algumas considerações sobre a próxima visita ao Brasil do presidente da República Islâmica do Irã, Sr. Mahmoud Ahmadinejad.

O Brasil tem ocupado um papel cada vez mais relevante no cenário internacional e na próxima semana receberá a visita do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad. Por conta da responsabilidade moral e ética que as Igrejas e religiões têm em defesa da vida e dos direitos humanos, tomamos a liberdade de lhe escrever e transmitir nossas preocupações em relação a essa visita oficial.

Sabemos que a justificativa oficial para esta visita é o crescente aumento dos laços comerciais com o Irã, o que em princípio, por si só, justificaria tal visita. Porém, como vivemos numa democracia, em que a defesa dos direitos humanos deve orientar nossas relações com outras nações, esta lógica não pode ser a única a aplicar-se no relacionamento do Brasil com o Irã. Como cidadãos brasileiros, queremos o fortalecimento de nossa balança comercial. No entanto, por outro lado, como cidadãos brasileiros, ficamos extremamente preocupados ao testemunhar a aproximação de nosso país com um regime autoritário e perpetuador de graves violações dos direitos humanos como o dirigido pelo Presidente Mahmoud Ahmadinejad.

O governo iraniano tem tido uma política de violação sistemática dos direitos humanos de sua própria população, inclusive no campo religioso. É um regime de profunda intolerância religiosa, em que cristãos, judeus e os seguidores da fé Baha`i, dentre outros, sofrem perseguições diárias, inclusive com ameaças que muitas vezes culminam em prisões e até mesmo em morte. O Brasil, que tem um papel histórico e admirável na defesa da democracia e dos direitos humanos, não pode acolher o Presidente Mahmoud Ahmadinejad com um tapete vermelho, fechando os olhos à política intolerante, excludente e discriminatória que o mesmo perpetua contra as minorias do Irã.

Como Igrejas, pedimos a V. Exa. que coloque e reforce a temática da defesa dos Direitos Humanos e da liberdade Religiosa durante a visita do Sr. Mahmoud Ahmadinejad. Uma vez que esta visita parece ser mesmo inevitável, esperamos que o Governo brasileiro não perca a oportunidade histórica de cumprir com o seu papel em defesa das minorias perseguidas e oprimidas pelo regime do Sr. Mahmoud Ahmadinejad.

O Governo brasileiro sabe que pode contar com todos os nossos esforços como Igrejas para a construção de um Brasil cada vez mais justo e fraterno para todos, assumindo também seu lugar no cenário internacional. O Brasil cumprirá bem e com eficácia o seu papel no mundo, se continuar defendendo os valores éticos e democráticos que não constam na agenda do atual presidente iraniano.
Esperamos uma pronta resposta de Vossa Excelência e do Governo Brasileiro, cientes da sensibilidade e do comprometimento que V. Exª. tem demonstrado para com as causas da justiça, da paz e da vida no mundo.
No compromisso com a justiça, a paz e a defesa dos direitos humanos, nos despedimos fraternalmente em Cristo.

P. Sin. Carlos Augusto Möller
Presidente do CONIC

Rev. Luiz Alberto Barbosa
Secretário Geral do CONIC

 

Deixe uma resposta

3 × quatro =