O fim do tempo e do mundo

“Passarão o céu e a terra. Minhas palavras, porém, não passarão” (Mateus 24,35).

Por Mauro Negro *

Em alguns momentos se fala de fim de mundo, de destruição e de morte em massa. Os tempos de crise são tempos de gente que define que o mundo está acabando, que nunca se viu coisas assim. Estas percepções, que alguns acham ser muito sábias, são parciais, pois esquecem as crises da história, ao longo dos séculos.

Vamos ampliar um pouco a visão da vida. O planeta Terra já passou por vários fins! Sim! Houve pelo menos cinco extinções em massa, como dizem os entendidos. Mais de 90% de todas as espécies de vida que já existiram deixaram de existir. Animais e plantas se extinguem. Até os continentes, como África, Europa, e os demais, mudam de lugar, se chocam, separam, levantam, abaixam. Isso acontece em milhões e milhões de anos, com mudanças lentas para a percepção humana, mas constantes e decisivas. Então, quando se fala em “fim do mundo”, do que se está falando? Do fim do planeta Terra? Do fim do modo de viver como o conhecemos? Do fim da espécie humana? Fim dos animais e plantas?

Esperança

A Terra tem quase cinco bilhões de anos, o que é difícil de entender, pois seriam 50 milhões de séculos! Um milhão de anos são dez mil séculos. E um século são cem anos! São muitos números, é muito tempo, a cabeça humana não consegue entender direito. Mas é assim. Se toda a história da Terra fosse comparada a uma hora de relógio, tudo, absolutamente tudo o que diz respeito ao ser humano acontece em menos do que os dois últimos segundos. Por isso, considerar o fim do mundo da perspectiva humana é até uma arrogância.

“Minhas palavras não passarão!” Em vez de ficar ansioso e ameaçar as pessoas com o “fim do mundo”, e ainda usando a Bíblia, é melhor estimular as pessoas com a Esperança e confiança que a Palavra de Deus, que é a Revelação na história, nos dá.

Dialogando com seus contemporâneos, Jesus afirma que o céu e a terra passarão, mas suas palavras não. Que o mundo, a Terra, tudo o mais terá um fim, isso é certo. Tudo termina, se gasta e extingue. Ocorre que o “fim” para alguém pode ser a mudança para outros e o início para vários. Os materiais, a vida, as coisas se reciclam, de muitas maneiras se recriam. Quando se ouve de Jesus que suas palavras não passarão, pode-se entender que a história tem um futuro. Os que vivem agora podem não compreender, mas que haverá um futuro, haverá. E isso alimenta a Esperança!

* Mauro Negro, OSJ. Biblista PUC São Paulo SP mauronegro@uol.com.br

Deixe uma resposta

4 × 5 =