Pastoral da Pessoa Idosa celebra Dia Nacional do Idoso

Quando se está isolado, a solidão é o maior adversário; e pode desencadear uma série de outras complicações físicas e psicológicas, que potencializam essa fragilidade.

Por Redação REDEPARÁ

No dia 1º de outubro é celebrado o Dia Nacional do Idoso, um momento voltado para a reflexão e sensibilização acerca dos cuidados com os nossos pais, avós, tios e os idosos da nossa sociedade. A Pastoral da Pessoa Idosa (PPI) do Regional Norte 2 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) há muito tempo vem realizando um serviço de cuidado e atenção aos idosos. Mas desde o início da pandemia do novo coronavírus (COVID-19), a PPI está intensificando suas ações devido à nova rotina exposta a sociedade e em especial às pessoas idosas.

Durante este período, a Pastoral está realizando reuniões online com as coordenações diocesanas e paroquiais para orientação e criação de estratégias. As  Lives pelas redes sociais também estão entre as atividades feitas pela PPI durante a pandemia. Segundo a coordenadora regional, Vera Lopes, o objetivo das reuniões online é informar e criar possíveis estratégias para o contato com os idosos sem a necessidade da visita domiciliar, formato tradicional de acompanhamento aos idosos. Para Vera, a principal preocupação é o bem estar e a saúde física, mental e espiritual do idoso.

"O que fazer para amenizar a fragilidade do idoso? Quando se está isolado, a solidão é o maior adversário; e pode desencadear uma série de outras complicações físicas e psicológicas, que potencializam essa fragilidade. Medo de contágio, tédio, fastio, frustração, desalento, desinformação, além de necessidades alimentares e medicamentosas estão entre as principais dificuldades de enfrentar esse dragão."

idosaaaÉ inegável o poder da comunicação e os recursos tecnológicos que temos atualmente, entretanto como o uso dessas tecnologias podem auxiliar os idosos. Esta é uma outra reflexão levantada pela coordenadora. "E o idoso carente? De uma carência material, espiritual, física e afetiva? As vezes com doenças crônicas. O que se pode fazer por essa pessoa fragilizada? Essa é a pergunta que não quer calar. Essa nossa brava gente brasileira, que não usa tecnologias modernas de comunicação, porque não tem acesso ou habilidade; a vida os treinou para outras coisas. Como podemos auxiliá-los? Como fazer chegar ajuda a quem precisa?", reflete Vera Lopes.

Outra estratégia criada é o contato via telefone para manter um diálogo com os idosos, pois muitos se sentem solitários, porque ainda estão em isolamento social. Vera explica que o contato tem sido principalmente por telefonema, “conversando e dando orientações e palavras de ânimo”. Aplicativos de mensagens como o WhatsApp também têm sido usados com algumas idosas.

A PPI junto com a CNBB e a Pastoral da Comunicação criaram um guia de orientação e cuidados com os idosos no início do isolamento social e reforça que ele ainda ser seguido. Confira a seguir:

  • Manutenção do isolamento social para evitar o contágio, mas sem a segregação e exclusão da pessoa idosa dedicando atenção sempre que possível e a verificação da necessidade de ajuda física, emocional ou social;
  • Além do cuidado com os idosos do meio familiar, é importante estar alerta para as pessoas idosas próximas como vizinhos e amigos e buscar formas de auxiliá-los;
  • Os telefonemas e as redes sociais são grandes aliadas para a realização do contato com parentes, amigos e pessoas próximas durante este período;
  • Cuidados com a higiene pessoal (lavagem das mãos e uso de máscaras), distanciamento social, auxílio das demandas dos idosos como a colaboração para realização de compras, cuidados para alimentação saudável e vacinação;
  • Destacar o valor e a importância do idoso e sua memória . “Eles guardam não só as lembranças, mas o sentido, o sabor e a cultura da vida”;
  • O constante contato afetivo,a necessidade da escuta para evitar que eles fiquem tristes e isolados, pois pode afetar a imunidade;
  • Olhar com atenção, amor, respeito e ternura sua jornada de vida;
  • Sempre reafirmar a importância e o valor dos idosos para e no ambiente familiar. E promover momentos de oração para o fortalecimento;
  • Atenção a garantia dos direitos dos idosos, em especial sobre a renda.

Deixe uma resposta

dezessete − seis =