Realização de um sonho de José Allamano

Dom Giorgio Marengo, missionário da Consolata será sagrado bispo dia 8 de agosto, em Turim, Itália.

Por Gianfranco Graziola

O que vai acontecer amanha, sábado, 8 de agosto no Santuário da Consolata em Turim, no norte da Itália, podemos dizer que é o sonho que José Allamano preconizava há mais de um século aos seus missionários e missionárias ao afirmar: «um dia ireis até à Ásia».

O sonho que Allamano fez, tem como lugar privilegiado o mesmo Santuário onde ele foi Reitor ao longo de bem 46 anos juntamente com Tiago Camissassa, seu fiel colaborador e amigo ao longo de 43 anos, e onde os dois trabalharam como tesoureiros da Mãe Consolata constituindo e fortalecendo aquela obra que ela, a Fundadora, tinha colocado em suas mãos, a família dos Missionários e Missionárias da Consolata.

marengo2O sonho do Allamano começou a se concretizar em 1988 quando os primeiros quatro missionários da Consolata iniciaram sua presença na Coreia e na Ásia, alargando-a em 2003 à Mongólia, juntamente com as Missionárias da Consolata, e em 2014 na ilha de Taiwan (China).

Mas o sonho tornou-se, uma realidade concreta quando, no último 2 de abril o Papa Francisco nomeou como segundo Prefeito Apostólico de Ulaanbaatar, na Mongólia, o Padre Giorgio Marengo, Missionário da Consolata, após a morte repentina em setembro de 2018 de Dom Wenceslao Padilla que, em 1992 tinha começado a presença missionária naquele país.

A consagração episcopal

Padre Giorgio tem esperado até agora para que tivesse condições de organizar sua consagração episcopal em Ulaanbaatar, na Mongólia, onde fosse natural que acontecesse, mas por causa das severas restrições aplicadas para conter a pandemia da Covid-19, e não sabendo quando seria possível pensou na Itália, a Turim e ao Santuário da Consolata ao qual todo o filho do Alamano está profundamente ligado pelo afeto e ternura com a Mãe Consolata.

É assim que a Mãe Consolata, será mais uma vez testemunha de que a família da Consolata de pequena semente na Ásia está tornando-se uma planta que dará frutos abundantes. E qual será a alegria da mãe no dia oito de agosto presenciar a consagração episcopal de seu filho Giorgio pelas mãos de outro filho gerado pela Igreja na Ásia, o cardeal Luis Antonio Tagle, Prefeito da Congregação pela Evangelização dos povos e do cardeal Severino Poletto, arcebispo emérito de Turim, que o consagrou presbitero e pelo atual arcebispo de Turim, Dom Cesare Nosiglia.

Também a escolha do Santuário da Consolata não é casual. Com esse gesto, se quer exprimir antes de tudo uma profunda gratidão a Consolata por ter enviado os seus missionários na longínqua terra da Mongólia. E à Consolata que leva seus missionários na Mongólia e ainda no seu abraço que é consagrada toda a Prefeitura Apostólica e a pequena e incipiente Igreja da Mongólia.

"Que a consagração episcopal seja realizada em Turim é o resultado de um misterioso emaranhado de eventos e de um dom inesperado – escreve padre Giorgio – os laços de amizade e de colaboração que nos unem, vos levariam certamente a querer todos estarem presente naquele dia no Santuário da Consolata, mas isso não será possível, estamos vivendo agora uns tempos difíceis e não possamos esquecer disso. As restrições impõem um sacrifício, qual seria, de deixar participar da celebração apenas um grupo pequeno de pessoas membros da minha família estreita e daquela alargada, dos missionários e missionárias da Consolata, com poucos representantes de sacerdotes e consagrados e consagradas e de outras igrejas particulares próximas da Mongólia. Estou certo que todos entenderão a situação e procurarão estar presentes com a oração e o carinho, mesmo que a distância".

Encontro com o novo bispo
Nos dias subsequentes à consagração, o novo bispo encontrará diversas comunidades antes de seu retorno à Mongólia. Os encontros serão realizados domingo 9 de agosto, às 10h30 na Igreja do Bem-aventurado José Allamano – casa mãe dos missionários da Consolata, às 18h na paroquia de Santo Alfonso Maria de Ligório e prosseguirão até final de agosto quando ele regressará à Mongólia.
Unamo-nos em espírito a este evento e rezemos pela pequena e viva Igreja na Mongólia e pelo seu novo pastor.

*Gianfranco Graziola, imc, é missionário em São Paulo, SP.

Deixe uma resposta

3 × 3 =