Missionários e missionárias da Consolata solidarizam-se com os Povos Indígenas

Ataques inverídicos e caluniosos por parte das instituições oficiais do governo brasileiro contra o CIMI e os Povos Indígenas têm sido constantes.

Por Jaime C. Patias

Diante dos constantes ataques aos direitos dos Povos Indígenas no Brasil, as Direções Regionais dos Missionários e das Missionárias da Consolata publicaram nota manifestando solidariedade e apoio ao Conselho Indigenista Missionário (CIMI), organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que trabalha junto aos Povos Indígenas desde 1972.

amazzonia4A mensagem foi enviada ao presidente do CIMI e Arcebispo de Porto Velho (RO), dom Roque Paloschi. Cartas semelhantes foram também dirigidas ao bispo de Roraima, dom Mário Antônio da Silva, à Associação Yanomami HUTUKARA, ao Conselho Indígena de Roraima (CIR) e aos padres, Irmãs e Irmãos da Consolata que acompanham as comunidades indígenas em Roraima.

Ataques inverídicos e caluniosos por parte das instituições oficiais do governo brasileiro ultimamente tem sido uma constante. No dia 4 de maio, a Fundação Nacional do Índio (FUNAI), órgão do Governo federal, divulgou em seu site uma carta com acusações ao CIMI. A publicação claramente pretende desviar a atenção das cobranças que o Conselho Indigenista Missionário fez ao governo, a respeito de sua omissão no combate à pandemia de Covid-19 junto às populações indígenas, além de adotar política que ignora os direitos indígenas garantidos pela Constituição de 1988.

Os missionários e as missionárias da Consolata no Brasil e em outros países do Continente América fizeram a opção pelos indígenas e se solidarizam com todos aqueles e aquelas que defendem a sua causa.
"Apoiamos todos os esforços que como Igreja fazem para sustentar a luta e o caminho dos Povos Indígenas e de toda a sociedade. Somos agradecidos(as) pelo trabalho e pela doação do CIMI que, apesar dos ataques, não esmorece", diz um trecho da carta.

Confira a seguir, a íntegra da mensagem

Exmo. Dom Roque Paloschi,

Presidente do CIMI

São Paulo, 9 de maio de 2020

Nos Missionárias e Missionários da Consolata, neste Tempo no qual partilhamos a sofrida realidade dos nossos Povos, desejamos chegar ao Senhor para assegurar-lhe a nossa proximidade através da oração e do apoio.

Estamos a par dos últimos acontecimentos que envolvem acusações e ameaças às Instituições, às lideranças e aos missionários/as que acompanham a caminhada delicada e tão sofrida dos nossos Povos indígenas.

Comungamos a clareza com a qual os Bispos se expressaram diante da situação que o Brasil está vivendo hoje, através do “posicionamento da CNBB em defesa da democracia, pela justiça e pela paz” (30 de abril 2020), e da “Nota dos Bispos da Amazônia Brasileira sobre a situação dos povos e da floresta em tempos de pandemia e covid-19” (4 de maio de 2020).

Conhecemos as acusações que a FUNAI dirigiu ao CIMI, reprovando a caminhada que há muitos anos vem fazendo a favor do Povo Indígena. Bem sabemos como o Senhor entregou, em Roraima, e continua atualmente, as melhores energias da mente e do coração a esta causa.

Por meio das comunicações cotidianas dos nossos missionários/as, tomamos conhecimento da grave situação, a nível social, econômico, da saúde e da educação que estão vivendo os Povos Indígenas e os mais vulneráveis.

Apoiamos todos os esforços que como Igreja fazem para sustentar a luta e o caminho dos Povos Indígenas e de toda a sociedade. Somos agradecidos/as pelo trabalho e pela doação do CIMI que, apesar dos ataques não esmorece.

As direções gerais dos Institutos Missionários/as da Consolata, as comunidades do Continente e as duas direções regionais continuamos muito próximos do Senhor com a oração diária, pedindo que Nossa Senhora, Mãe da Consolação, a Mulher que permanece firme ao pé da cruz dos crucificados de hoje, sustente a entrega do senhor na Missão que lhe foi confiada.

Atenciosamente

Ir. Gabriella Bono                            P. Luiz Emer

Ir. Lina B. Lucas Kessy                   P. Claudio Cobalchini

Ir. Maria Dina Puddu                     P. Corrado Dalmonego

Ir. Maria Angelina Deretti             P. Philip Njoroge N.

Ir. Graça M. Lameiro                      P.James Mwaura M.

Deixe uma resposta

2 × cinco =