Clamor por solidariedade

O caminho da santidade encontra seu fundamento na graça que vem de Deus, decorrente do batismo.

Por Geovane Saraiva*

O caminho da santidade encontra seu fundamento na graça que vem de Deus, decorrente do batismo, o qual introduz a criatura humana no mistério da morte e ressurreição de Jesus, com seu cume na páscoa do Senhor. Esse caminho de santidade é possível no sinal claro, o pacto com Jesus de Nazaré, de com Ele instaurar seu Reino de Amor. Como filhos amados do Pai, a santidade dos que já nos precederam neste mundo associa-se à Igreja, santa e indestrutível — como no exemplo do próprio Filho de Deus, que a amou como esposa e por ela deu-se a si mesmo, querendo que ela seja sempre mais santa e imaculada.

domhelder2Como é indispensável o constante esforço, à luz do Espírito Santo de Deus, de que sejamos animados por sua palavra, associados aos irmãos que sofrem, mas, com vigor e ânimo, comprometem-se a viver o espírito das eternas bem-aventuranças. Alegra-me o surpreendente exemplo e sinal de esperança a glorificar a Deus por uma Igreja em saída, vendo que as crianças da Infância e Adolescência Missionária da nossa Paróquia de Santo Afonso, ao andarem clamando por solidariedade, propuseram doação de alimentos como gesto concreto em favor dos migrantes e refugiados, os quais continuam chegando à cidade de Fortaleza, coincidindo com a liturgia da Solenidade de Todos os Santos.

Por meio do batismo, as pessoas se aproximam e se configuram com Deus, na santidade, entendida como dom e graça, dentro do projeto de Deus. Ser fiel ao batismo significa abraçar a missão e romper com o comodismo, na busca de novos caminhos, vencendo obstáculos, ultrapassando barreiras na multiplicação dos dons recebidos de Deus. Significa também acolher o convite feito pelo próprio Deus: o de dar continuidade à sua missão, obediente à sua indeclinável voz ­— mistério divino — a se manifestar no seu infinito amor. Esse mistério divino, à luz da esperança cristã, não é sinônimo de ilusão, mas revela a justiça de Deus, que é vida para todos, não só na glória com vinda sua definitiva.

Convém, portanto, guardar a iniciativa da Auristela Leita, ao estimular o edificante gesto acima, das crianças da Infância e Adolescência Missionária da Paróquia da Parquelândia, Fortaleza-CE, não deixando dúvida da nossa missão à santidade, que no dizer Dom Helder é: “Sair de si, quebrar a crosta do egoísmo que nos fecha no nosso eu”. Assim seja!

*Geovane Saraiva é escritor, blogueiro e pároco da Paróquia de Parquelândia, Fortaleza, CE.

Deixe uma resposta

três × três =