Os Reis Magos

Deus, que veio habitar entre nós, mostra-nos sua graça de acolhê-Lo e reconhecê-Lo como o Senhor da vida e da História, como no exemplo dos Reis Magos. Assim seja!

Por Geovane Saraiva*

Somos a Igreja que se esforça para evangelizar e se evangelizar com a beleza da liturgia, no dizer do Papa Francisco. Cristo, no centro, ao assumir a nossa condição humana, dá-nos a chance de experimentar sua vida, na palavra de Deus e nos sacramentos, iluminando-nos e reavivando-nos como Igreja, peregrina pelos caminhos da História, com as marcas da fé e da esperança. Voltados para a liturgia da Epifania do Senhor, na viva mensagem dos Reis Magos, afastemo-nos do comodismo e sejamos conduzidos pela verdadeira estrela: Nosso Senhor Jesus Cristo.

tres-reis-magosComo é belo e maravilhoso pensar que de Belém, pequena cidade, saiu aquele que entrou na História da humanidade, querendo sua restauração! É a graça de Deus que se manifesta como luz, na vida dos homens e das mulheres de boa vontade, dispostos a se abrirem ao poder salvador de Deus, no reconhecimento de sua glória, na busca de um mundo justo, solidário e de paz.

Os três Reis Magos, impulsionados pelo Espírito de Deus, peregrinaram, desejosos de encontrar o Menino Jesus, conduzidos pela estrela. Chegaram a Herodes, em Jerusalém, que usou de má-fé, encaminhando-os a adorar o recém-nascido e informá-lo, para que também ele pudesse adorá-lo. Achar o lugar onde se encontrava a criança é o mesmo que transbordar da mais plena alegria, que deve ser a alegria de todos os que o acolhem, lá do fundo do coração! Como nesse exemplo, coloquemo-nos a caminho do reconhecimento do Menino Jesus como Deus, encontrando nele a razão da nossa alegria e esperança.

Os preciosos presentes oferecidos ao menino, fortes símbolos de sua missão: o ouro, que representa a realeza; o incenso, a divindade; e a mirra, a humanidade. O significado dessa festa litúrgica é para manifestar e revelar o poder de Deus sobre todos os povos da terra. Seu nascimento provoca reação em aceitá-lo ou não. Deus, que veio habitar entre nós, mostra-nos sua graça de acolhê-Lo e reconhecê-Lo como o Senhor da vida e da História, como no exemplo dos Reis Magos. Assim seja!

*Geovane Saraiva é pároco de Santo Afonso e vice-presidente da Previdência Sacerdotal, integra a Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza - geovanesaraiva@gmail.com

Deixe uma resposta

oito + dezoito =