Papa Francisco a caminho da Colômbia!

Francisco visitará as cidades de Bogotá, Villavicencio, Medellín e Cartagena de Índias.

Por Júlio Caldeira

O papa Francisco já está viajando de Roma para Bogotá: chega esta tarde à capital colombiana para iniciar sua Visita Apostólica de cinco dias. Francisco é o terceiro papa que visita a Colômbia. Antes dele, Paulo VI em 1968 e João Paulo II em 1986 estiveram nestas terras.

Está previsto que o Papa chegue às 16h30 (horário de Bogotá) desta quarta-feira ao aeroporto militar CATAM. Ao pisar em terras colombianas será recebido por uma comitiva de todos os bispos colombianos e pela comitiva presidencial, encabeçada pelo presidente Juan Manuel Santos.

Do aeroporto até a Nunciatura Apostólica, irá de papamóvel pela avenida El Dorado (que liga o aeroporto ao centro da cidade), cumprimentando os fiéis que desde esta manhã o esperam com muita alegria. Ele dormirá todos os dias na Nunciatura e daí partirá para as visitas que realizará em Bogotá, Villavicencio, Medellín e Cartagena de Índias.

Dia a dia da visita do Papa
colombianaaesperadopapaQuinta-feira, dia 7, o Papa visitará Bogotá, capital e metrópole com oito milhões de habitantes, onde terá encontros com membros do governo, da Conferência Episcopal Colombiana (CEC) e do Conselho Episcopal Latino-Americano (CELAM), bem como um encontro com jovens e a celebração de uma Missa campal no parque Simón Bolívar. A temática deste dia girará em torno à vida, paz e Maria, Mãe da vida.

Villavicencio, porta de entrada da Amazônia e da planície colombiana, estará visitando sexta-feira, 8. Esta é uma das zonas que mais sofrem com o conflito armado e com o desmatamento. Aí terá um grande encontro de oração pela reconciliação nacional (junto às vítimas do conflito), inaugurará a «Cruz da Reconciliação» e beatificará dois mártires colombianos: o bispo Jesus Emilio Jaramillo e o sacerdote Pedro Maria Ramírez. O tema será a reconciliação: com Deus, entre as pessoas e com a natureza.

O Papa estará sábado, 9, em Medellín, onde tratará do tema vocação e serviço cristão. Aí celebrará a Eucaristia pela manhã. À tarde visitará a “Casa São José” (obra social que acolhe crianças e adolescentes abandonados, toxicodependentes e vítimas de exploração sexual e violência intrafamiliar) e depois terá um encontro com os sacerdotes, religiosos, e suas famílias de origem.

No último dia da visita, domingo, 10, o Pontífice irá a Cartagena das Índias, onde visitará os projetos sociais arquidiocesanos, entre eles o Talitha Qum (que atende crianças e adolescentes com alto risco de vulnerabilidade); também porá a primeira pedra das casas para os sem-abrigo. Ao meio dia rezará o Angelus e visitará a casa de São Pedro Claver, padroeiro dos direitos humanos e defensor das pessoas com deficiência. À tarde celebrará a Santa Missa, antes de regressar a Roma. O tema central girará em torno à luta contra a pobreza e o racismo. Estima-se que 74% da população de Cartagena é afrodescendente.

Realidade Colombiana

A Colômbia é um país de América do Sul com 49 milhões de habitantes, sendo 90% católicos (é o sétimo país com mais católicos no mundo), e registra mais de sete décadas de conflitos armados internos, que levaram mais de 20 por cento da população a migrar internamente e para outros países.

Atualmente o país vive um momento de dúvidas e polarização política marcada por dois processos e diálogos de paz. O primeiro, já assinado em novembro de 2016, entre o governo colombiano e o maior grupo guerrilheiro colombiano, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC). O segundo, está se desenvolvendo em Quito – Equador, com o Exército de Libertação Nacional (ELN), desde 7 de fevereiro deste ano.

Segundo pesquisa do professor Fernando Altemeyer, a Igreja Católica na Colômbia “atualmente conta com 134 bispos: 22 arcebispos (4 cardeais arcebispos, sendo três eméritos, 12 arcebispos diocesanos na ativa, 5 arcebispos eméritos, um arcebispo núncio apostólico) e 112 bispos (62 bispos diocesanos na ativa – 52 diocesanos e 10 bispos auxiliares –, 30 bispos diocesanos eméritos, sendo 28 diocesanos e 2 auxiliares eméritos; 16 vigários apostólicos – 11 na ativa e 5 eméritos –, 1 exarca de rito maronita e 3 prefeitos eméritos). A organização pastoral se faz por meio de 4.042 paróquias, 6.292 centros de atendimento pastoral, 9.210 sacerdotes (6.801 padres do clero secular e 2.409 membros do clero religioso ou regular), 515 diáconos permanentes, 324 membros de institutos seculares, 50.564 missionários leigos, 1.174 irmãos, 4.041 seminaristas maiores, 14.727 religiosas consagradas, 55.628 catequistas”.

Júlio Caldeira, imc, é diretor da Revista Dimensión Misionera (Colômbia).

Deixe uma resposta

16 + 3 =