Faleceu padre Tomaz Hughes, verbita

O religioso tinha 69 anos, era irlandês e trabalhava no Brasil desde 1971. Escrevia para Missões, na rubrica Espiritualidade.

Por Redação, com informações dos verbitas

Na tarde da última segunda-feira, 15 de maio, faleceu o verbita padre Tomaz Hughes em Ponta Grossa, PR. O religioso tinha 69 anos, era irlandês e trabalhava no Brasil desde 1971. Ele atuava especialmente na formação bíblica e como assessor da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB Nacional) e do CEBI (Centro Ecumênico de Estudos Bíblicos). Padre Tomaz era colaborador da revista Missões desde outubro de 2015, alternando a rubrica Espiritualidade com o padre Ronaldo Lobo, superior dos verbitas. Seu último artigo foi publicado na edição de maio 2017, sob o título "Não caminhamos sozinhos", quando refletiu sobre o trecho bíblico dos discípulos de Emaús.

tomazhughes1Vinculado à Província Brasil Sul dos missionários do Verbo Divino, Pe. Tomaz viajava por todo o País, conduzindo cursos e retiros bíblicos. O presbítero publicou diversos artigos nas revistas “Convergência”, “Estudos Bíblicos” e em outras produções sobre a vida religiosa consagrada. No ano passado, o verbita lançou o livro “Paulo de Tarso: discípulo-missionário do Senhor, modelo de fé” (Ed. Pão & Vinho, 2016).

“A memória não é suficiente. Pode até ser desmobilizadora. Precisa ser completada com a esperança”, dizia Pe. Tomaz.

Ao saber do falecimento do verbita, a CRB Nacional publicou uma nota nas redes sociais: “A CRB Nacional, sua diretoria, a equipe interdisciplinar e todos os religiosos e religiosas se solidarizam com a Congregação do Verbo Divino e com os familiares de Pe. Tomaz, com um profundo agradecimento a Deus pelo grande dom que este sacerdote foi para a Igreja e para o mundo”.

Irmã Maria Inês Vieira Ribeiro, MAD, presidente da CRB Nacional, também recordou a obra de Pe. Tomaz. “Desde que o conheci, possuía uma energia, uma vibração, um amor pela Igreja, pelos pobres e pela Palavra de Deus de causar ‘santa inveja’. Nunca vi o Pe. Tomaz desanimado e sem garra, fazendo toda sua parte para que o Reino acontecesse. Olha que o conheço desde 1981, quando trabalhei com ele na Diocese de Foz do Iguaçu, Paraná”.

“O Pe. Tomaz foi da espécie que desdiz a teoria do pecado original... tinha os dons do paraíso intactos... aliou conhecimento e realismo com inocência e alegria! Que privilégio tê-lo conhecido ao menos um pouco nos últimos anos. Deus seja louvado pela sua existência”, escreveu o frei Luis Susin, capuchinho.

O corpo de Pe. Tomaz foi velado na Paróquia do Espírito Santo, em Ponta Grossa. O sepultamento foi às 15h desta terça-feira, 16 de maio.

Fonte: Congregação do Verbo Divino

Deixe uma resposta

três × 1 =