Moçambique: peregrinos visitam Portas Santas

Neste Santo Ano da Misericórdia, proclamado pelo Santo Padre (2015/16), em todas as dioceses de Moçambique foram criadas Portas Santas, para onde os fiéis periodicamente peregrinam.

Por Hermínio José, de Maputo

Na Arquidiocese de Maputo, capital do país,  foram abertas três portas santas e os fiéis oriundos de várias paróquias visitam aqueles locais santos.

O arcebispo de Maputo, Dom Francisco Chimoio, falando ao correspondente da Rádio Vaticano afirmou que tem sido cada vez maior a afluência dos fiéis nas visitas às portas santas.

mocambique1"As Portas Santas que criamos na nossa Arquidiocese constituem um marco muito importante para toda a comunidade católica. Os fiéis periodicamente peregrinam e entram pelas Portas Santas. É um momento de muita oração. Neste Ano Santo da Misericórdia, precisamos de nos renegar a nós mesmos e seguirmos o Senhor", acrescentou Dom Chimoio.

Na Diocese de Xai-Xai, província de Gaza, a sul de Moçambique, foram criadas duas Portas Santas. Segundo o bispo auxiliar de Xai-Xai, Dom Alberto Vera, os fiéis naquela parcela do país estão vivendo intensamente o Ano Santo da Misericórdia. "A peregrinação até as Portas Santas configura uma jornada de intensas orações, onde os fiéis rezam e fazem várias preces ao Senhor", afirmou o prelado.

Dom Alberto Vera disse que a olhar pelo lema do Ano da Misericórdia, "Misericordiosos como o Pai", todos somos chamados a sermos misericordiosos um para com o outro. "A misericórdia é uma virtude, é um dom divino", ajuntou.

Apelos à Paz
Entretanto, numa altura em que o país vive uma tensão político-militar, os prelados foram unânimes em afirmar que a Paz não deve ser posta em causa em Moçambique. Segundo Dom Alberto Vera, é preciso que os atores políticos do país ponham mão à consciência e pensem neste bem comum, a paz.

"Sem paz os moçambicanos nada podem fazer. Bastam os confrontos armados entre irmãos num país que já sofreu duas sucessivas e longas guerras. Chega o derramamento de sangue no nosso país", disse D. Francisco Chimoio, Arcebispo de Maputo.

Fiéis oram intensamente
Relativamente à peregrinação às Portas Santas, aferimos que o nível de satisfação dos fiéis é maior. Ana Flávia da Sé Catedral em Maputo, afirmou que na última visita à Porta Santa de Magude, esteve presente e viveu um momento ímpar e único na sua vida. Sob o mesmo diapasão alinham demais fiéis abordados pela nossa reportagem em várias paróquias de Maputo. Os fiéis dizem estar vivendo intensamente o Ano Santo da Misericórdia, e enaltecem o Santo Padre pela iniciativa!

Fonte: pt.radiovaticana.va

Deixe uma resposta

dois × 5 =