Missionários da Consolata reunidos em Assembleia Regional

Pastoral, Nova Evangelização e Missão Ad Gentes, três âmbitos da Missão no mundo contemporâneo. O missionário deve ser pastor, semeador e pescador.

Por Paulo Mzé

A Casa Regional dos missionários da Consolata, no Jardim São Bento, São Paulo, acolhe desde o dia 16 de maio de 2016, a Assembleia Regional dos missionários que trabalham no Brasil. A Assembleia se estenderá até sábado, dia 21.

No primeiro dia, os mais de 50 missionários refletiram sobre o tema da “Missão e cooperação missionária”, com a assessoria do também missionário da Consolata e atual secretário da União Missionária, junto às Pontifícias Obras Missionárias (POM), padre Jaime Carlos Patias.

Padre Patias desenvolveu o tema tendo como base o documento 108 de estudo da CNBB, que trata da Missão e Cooperação Missionária. Orientações para a animação missionária da Igreja no Brasil – estudos da CNBB – 108. O assessor na sua fala começou resgatando a identidade da Igreja, que é fazer com que todas as nações se tornem discípulos. Fazendo assim, a Igreja cumpre o mandato do seu fundador que ordenou a seus discípulos: “Ide, portanto, e fazei que todas as nações se tornem discípulos, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo e ensinando-as a observar tudo que vos ordenei” (Mt 28, 19-20ª).

A esta colocação seguiu-se a constatação de que a Missão vem enfrentando vários desafios impostos pelo mundo contemporâneo. Isto porque o mundo vem sofrendo profundas transformações socioculturais. Em meio a esta realidade, foi lembrado que a Missão é a própria natureza da Igreja, chamada a ser testemunha da Cristo no mundo e na história, até os confins da terra e o final dos tempos. “A Igreja é por sua natureza missionária” (AG 2).

Para resgatar a Missão, padre Jaime apontou cinco saídas, a saber: abandonar estruturas caducas; transformar as pessoas; assumir relações de comunhão; adotar práticas missionárias e, finalmente, projetar-se além-fronteiras.

Em nossas comunidades, “impõe-se uma conversão radical da mentalidade para nos tornarmos missionários” (RMi 49).

Padre Jaime disse que o mundo de hoje distingue três âmbitos de missão: 1 - a Pastoral; 2 - a Nova Evangelização, e 3 - a Missão Ad Gentes. A estes âmbitos coincidem as seguintes imagens: 1 - Pastor; 2 - Semeador, e 3 - Pescador, respectivamente.

Por fim, padre Jaime afirmou que o objetivo da tarefa missionária é formar comunidades eclesiais como sujeitos vivos da ação missionária, para que sejam fermento no mundo, a começar pela evangelização de si mesmas, concluiu.

Deixe uma resposta

dois × quatro =