O povo "gritou" na praça central de Jundiaí

Reinaldo Oliveira

O povo "gritou" na praça Pedro de Toledo, região central de Jundiaí, no Grito dos Excluídos celebrado no dia 7 de setembro que apresentou na sua 20ª edição nacional, e 4ª edição diocesana da Diocese de Jundiaí, o tema "Ocupar ruas e praças por liberdade e direitos".

O evento teve início às 15h, com uma celebração eucarística presidida pelo bispo diocesano Dom Vicente Costa, padres, diáconos, seminaristas, religiosos/as e agentes das Pastorais Sociais das 11 cidades que fazem parte da Diocese de Jundiaí.

Durante a celebração, no momento da homilia, o bispo Dom Vicente disse: "É necessário assumirmos o Grito dos Excluídos como "igreja em saída", como propõe o Papa Francisco. Devemos reconhecer que ha dioceses e paróquias que não realizam o Grito dos Excluídos. É uma omissão, muitos estão surdos e não ouvem o grito dos que estão sendo vítimas de um Estado capitalista, de uma sociedade discriminatória. Queremos ser uma Igreja para os pobres".

Após a celebração o povo se reuniu na praça central (em frente da Catedral), onde num momento de manifestação profética "gritou" contra a omissão e falta de ação do Estado para com a saúde, educação, trabalho, moradia e outros meios importantes para a população.

Para o coordenador diocesano da Pastoral Fé e Política, Claudio Nascimento, o povo na praça constitui uma mobilização nos três sentidos: denunciar o modelo político econômico, que ao mesmo tempo concentra riqueza e renda onde condena milhões de pessoas à exclusão social; tornar público o verdadeiro rosto do povo excluído vitima do desemprego, da miséria e da fome; procura alternativas ao modelo econômico neoliberal, de forma a desenvolver uma política de inclusão social, e visão crítica com a participação ampla de todos os cidadãos.
Durante a manifestação, coordenada pela Pastoral Fé e Política, os representantes das diversas entidades que participaram do "grito", iam se manifestando, enquanto a animação com dança, música e teatro, foi feita por grupos da Pastoral do Menor.

Dom Vicente Costa participou de todo o "grito na praça", sempre presente no meio do povo, fez suas intervenções e aproveitou para votar no Plebiscito Popular para uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político, e no final agradeceu a organização e presença de todos, já os convidando para o evento de 2015.

Fonte: Revista Missões

Deixe uma resposta

dez − cinco =