De Parintins, Amazonas, a Hong Kong, China

Steven Gichohi Ngari

Irmã Maria Clara Pires, da Congregação das Missionárias da Imaculada - PIME tem oito anos de vida religiosa e 31 anos de vida. De uma família de cinco filhos, ela deixa família e a terra querida da Amazônia (Parintins) e embarca com amor e coragem para missão em Hong Kong, China.

A missão é anunciar Jesus e ajudar o próximo. Mesmo com a mudança do conceito ‘missão' na atualidade, irmã Clara sente-se chamada a alcançar o próximo que se encontra além das fronteiras geográficas. Há dentro dela o desejo forte de sair para partilhar a sua experiência de fé com os irmãos e irmãs de outros continentes.

A religiosa reconhece e confessa que o salto cultural da Amazônia para China é muito grande. Enfrentará as dificuldades de adaptação a uma nova cultura, o desafio de aprender um novo idioma e um jeito de ser e de agir totalmente diferente. Mas diante disso "eu tenho que ser aberta e forte. Dá medo sim, mas acredito que o Senhor que me chamou vai me acompanhar e ajudar para realizar a sua obra", salienta com firmeza.

Mesmo com uma ligação forte com a terra amazonense, Ir. Clara testemunha que com mente aberta e graça de Deus, a missão além-fronteiras é possível. É importante que haja disposição da pessoa e a graça para poder atravessar os mares e ir ao encontro do outro.

Jesus é quem chama para a missão. A missionária percebeu na sua vida religiosa e missionária, a presença de Jesus em todos os momentos. Nunca lhe faltou nada para realizar a obra de Deus na missão. Outra fonte de força valorizada pela irmã são as pessoas que vivem e trabalham com ela, a comunidade religiosa e a pastoral.

No final, irmã Clara deixou um recado para os jovens vocacionados, "coragem, mesmo que haja sacrifício confiem na presença de Deus na sua vida. O Deus que chama está sempre presente no caminho e dará forças para superar as dificuldades que possam aparecer na caminhada". E para os missionários que já estão trabalhando nas missões, ela pede que não percam a mística da oração e da vida comunitária.

A vocação da irmã Clara surgiu do testemunho dos missionários do PIME, Instituto que trabalha na sua paróquia e em toda a sua diocese, e da sua formação cristã na família e na comunidade eclesial. Logo depois do Ensino Médio, após três anos de acompanhamento vocacional, ingressou na congregação das Missionárias da Imaculada. Depois da formação inicial ela realizou a sua primeira experiência missionária no Amapá, norte do Brasil.

Fonte: Revista Missões

Deixe uma resposta

5 × quatro =