O líder na Vida Religiosa

Tamrat Markos

O tema da liderança é tão antigo quanto a história da humanidade. Desde os primeiros dias da existência humana, percebeu-se a necessidade de se ter líderes que pudessem dirigir grupos de pessoas numa direção correta para atingir os próprios objetivos ou metas. Na antiga Grécia, o líder era aquele que sabia falar bem em público com "retórica", e aquele que demonstrava ser o mais forte de todos. A liderança não é competência exclusiva da politica, mas também de todos os âmbitos da vida humana: religioso, comunitário, militar etc.

Pois bem, os missionários da Consolata que trabalham no estado da Bahia-Brasil, fazendo parte desta mesma história humana, trataram o tema proposto pela Direção Regional "Liderança do Superior da comunidade local". Essa formação aconteceu entre os dias 15 e 17 de abril na cidade de Salvador, na casa das irmãs "Filhas da Igreja".

O Padre Eliomar, sj, que assessorou a formação, afirmou: "o líder deve ser uma pessoa coerente, capaz de se manter fiel aos seus princípios e ser capaz de defender estes princípios, embora isto possa supor graves contratempos profissionais, deve manter uma vida equilibrada e que tenha a capacidade de convencer, animar e motivar, e deve saber comunicar com toda a sua equipe, etc."

Na vida religiosa, o líder ou o superior deve saber ouvir, promover a liberdade, ajudar a assumir o projeto de Deus, da comunidade; animar e cuidar dos outros; garantir o bem-estar e a convivência da comunidade; enriquecer e respeitar a cultura do outro para garantir uma boa convivência; garantir o cumprimento do projeto comunitário e pessoal; animar a pessoa no seu próprio carisma e lembrar a importância do carisma do Instituto em geral.

Portanto, cabe a todos os membros da comunidade religiosa se perguntar: o que nos une na vida consagrada? Por que nós estamos juntos?

Estamos juntos para:
• Viver e testemunhar a fé,
• Testemunhar e seguir Cristo,
• Levar o Cristo ao outro, como Missão.

O verdadeiro missionário hoje é aquele que vai regar a semente de Cristo ou ajudar o outro a perceber esta semente na sua própria cultura, pois ela está presente em todas as culturas.

A capacidade de querer viver com o outro é o primeiro voto. É o voto de todas as congregações, e o mais difícil de ser vivido. Os outros votos têm a sua base na vida comunitária. Por isso o apóstolo Paulo disse: "sejam humildes, amáveis, pacientes e suportem-se uns aos outros no amor" (Ef 4, 2).

Finalizo este artigo fazendo memória das palavras sábias das culturas conhecidas: "o líder não deve ser como um professor de matemática que apresenta soluções dos problemas diante dos alunos, e sim como um professor de ginástica que demonstra o exercício diante de todos". Quer dizer, um grama de prática vale mais que uma tonelada de palavras.

Fonte: Tamrat Markos / Revista Missões

Deixe uma resposta

6 + dezenove =