Não somos os melhores

Anuar Battisti *

Como muitos são chamados e poucos são os escolhidos, certamente hoje, o Senhor continua chamando e escolhendo entre muitos, alguns. Muitas vezes já me perguntei: Por que eu? Porque não outro? Acredito que a resposta está na adesão ao chamado. Topar a parada sem medir as qualidades é o caminho para quem foi escolhido. O Senhor nunca escolhe os capacitados mas capacita os chamados, por isso não somos os melhores e sim os que acreditam ser instrumentos nas mãos do Mestre. Somente assim somos capazes de responder sem medo, sem mesmo saber o que vai acontecer.

No próximo sábado, dia 07 às 19h30 na Catedral em Maringá, receberão a Ordenação Diaconal mais quatro jovens, que dentre os chamados foram os escolhidos para o ministério presbiteral, na Igreja. O diaconato é o passo definitivo para quem topou a parada, não por serem os melhores e sim, por serem os mais corajosos em acreditar na graça de Deus que chama. Escolhidos para deixar tudo, casa, família, esposa, filhos, riquezas, para servir e não serem servidos. Homens de Deus a serviço do povo a tempo integral, sem medidas, sem acumular nada, sem pretensões e honrarias. Servos servidores para serem os maiores no exercício da missão.

De nada vale a filosofia, a teologia, os títulos alcançados durante anos de estudos. De nada valem os anos de formação vividos no ambiente acadêmico. De nada valem as horas incansáveis de leituras, principalmente em vésperas dos exames, enfim de nada vale os intermináveis anos de vida universitária, ou de seminário, para conseguir um diploma e alcançar uma profissão, ou exercer uma missão, se em primeiro lugar, tudo isso não seja marcado pelo amor. Nada e ninguém pode preencher o coração humano, senão o amor com que cobrimos os nossos afazeres de cada dia. O importante não é o que fazemos e sim o como fazemos.

Com certeza não foi a freqüência na escola dos rabinos e nem os estudos das leis que fizeram de Jesus, o Salvador, o Messias, o Cristo, o Filho de Deus, o Homem da Nazaré e sim o amor com que anunciou a boa noticia, com que fez os milagres, com que acolheu os doentes, cegos, aleijados, tuberculosos, os excluídos da sociedade. Foi o amor por cada um de nós, que fez Jesus passar pela morte de cruz e ressuscitar, dando-nos a graça de poder viver como ele viveu. Nos caminhos do Mestre do Amor, milhares de homens e mulheres encontraram o sentido da vida e a resposta a todos os porquês. Nos caminhos do Bom e Amado Pastor, ainda hoje jovens encontram o caminho da realização pessoal, dando-se totalmente a serviço dos irmãos, principalmente aos pobres e descartados da sociedade.

Esse caminho não foi feito para alguns privilegiados. O Senhor veio para todos os que Nele crerem, e crendo, vivam como ele viveu. Não existe outro caminho para a verdadeira vida já aqui nesta terra, a não ser a busca incansável do bem comum, procurando servir e amar sempre. Pagaremos aqui, ou na outra vida os pecados da omissão e do poder que oprime, destrói, acumula, discrimina e mata. Todo o poder vem de Deus e Ele deve voltar através do amor ao próximo. "Todo aquele que diz que ama a Deus e não ama o seu irmão é mentiroso"(Primeira Carta de João). Somente quem ama de verdade sem esperar nada em troca é capaz de viver com a consciência limpa e alcançar a recompensa final que só pode vir de Deus. Portanto não somos os melhores, mas podemos ser os maiores no Reino de Deus, porque acreditamos e vivemos no amor e por amor. Vamos orar para que o Senhor continue chamando jovens decididos a seguir a voz do Mestre.

*Arcebispo de Maringá/PR

Fonte: CNBB

 

Deixe uma resposta

quinze − treze =