Juventude Missionária comprometida com a missão

Cecília Soares de Paiva, jornalista Oeste 1 CNBB

A programação do Cam 3 - Comla 8 prossegue esta manhã com a delegação do Brasil orientando a oração na Casa da Cultura. Todos foram convidados a saudar Maria, para então, saudarem-se uns aos outros no abraço da paz, retornando aos seus lugares para ouvirem a conferência apresentada por dom Erwin Krautler, Bispo do Xingu, PA.

No período da tarde, os congressistas continuarão os trabalhos dos fóruns por meio da metodologia do aprender, escutar e anunciar. No fórum "Missão e Juventude" estão sendo discutidas as perspectivas de futuro do jovem na atual sociedade e a sua ansiedade em obter resultados concretos e imediatos ao assumir uma missão.

Para dom Bruno Pedron, bispo de Ji-Paraná, RO, esse fórum mostra uma realidade em que o jovem precisa sentir-se apoiado por seus bispos, padres e agentes de pastoral, vendo-os como condutores que contribuem na transformação das situações de conflitos da sociedade.

Segundo o padre Inocêncio Xavier, de Goiás, percebe-se que o jovem quer ser valorizado e também contribuir na solução de problemas comuns. "É preciso acreditar na responsabilidade e na criatividade que anseiam expor, dando-lhes formação religiosa, política, social e participativa," complementa Padre Inocêncio.

O padre Daniel Lagni, diretor Nacional das Pontifícias Obras Missionárias, espera que o Cam 3 - Comla 8 resulte em propostas de soluções para as situações provocadas pela globalização, pelo vazio existencial e busca pela espiritualidade, dentre outros.

Os missionários desejam construir uma Igreja merecedora de formação religiosa, humana, afetiva, política, social e participativa. "O congresso está fluindo bem e é admirável o esforço da Igreja do Equador neste encontro. É muito bonito ver a doação dos jovens na acolhida e no testemunho missionário", acrescenta padre Daniel Lagni.

Fonte: Revista Missões

Deixe uma resposta

sete + 2 =