Fóruns trazem a realidade das Américas no CAM 3 - Comla 8

Cecília Soares de Paiva *

A Pontifícia Universidade Católica do Equador sedia os 16 fóruns de debates dos sub-temas do Cam 3 - Comla 8, em Quito. O Brasil coordena o fórum "Missão, exclusão e migração", com conferência feita pelo padre Cláudio Ambrósio, pároco em Sobradinho, cidade satélite de Brasília (DF).

O grupo constituído de 250 pessoas iniciou as discussões na tarde de ontem, 13 de agosto, utilizando a metodologia do escutar. Os debates prosseguem na tarde de hoje focando no aprender. Primeiramente divididos em grupos menores, as discussões foram conduzidas pelo padre Victor Menezes, das POMs de Brasília, havendo exposição de propostas e ocorrências negativas e positivas dos migrantes pelo mundo. Citou-se os indocumentados que sofrem com o sistema de exclusão, criticando-se a nova diretiva de retorno aos seus países proposta pela Europa e que está sendo estudada também em outros continentes.

Para a Igreja falar de migração é preciso ter um trabalho especializado, exigindo métodos de integração, ressaltando valores e contribuições práticas para o dia-a-dia. É preciso também cuidar para que a Igreja saiba como lidar com a inculturação sem ocorrência da perda de identidade, pois se "perderia muito se um argentino dissesse ao seu filho: aprende o inglês igual aos colegas de tua sala, aqui na América", exemplifica dom João Alves dos Santos, bispo de Paranaguá-PR, destacando que isso contribuiria para a perda das raízes.

Outro Fórum tratou da "Missões e laicato", com a participação do padre Crispim Guimarães, coordenador de pastoral de Dourados, em Mato Grosso do Sul. Coordenado pela delegação da Venezuela, também reuniu 250 participantes que procuraram responder: "Quais as motivações que movem a humanidade hoje? e "Quais os novos modelos de vida?"

Entre as colocações, todos puderam escutar que a motivação no mundo de hoje se atenta para a busca da felicidade e os meios de como chegar a isto. É a busca desmedida do prazer e da riqueza sendo procurada nas inúmeras denominações religiosas encontradas hoje. Apesar de a Igreja apresentar o modelo para encontrar a felicidade, os participantes atentaram que a causa principal está na linguagem, como por exemplo, "não se sabe falar para a juventude, nem lhe apontar que a Igreja tem um produto melhor. Falta também uma apresentação ideal, de uma proposta de modelo de vida para o cristão, ressalta o que ouviu padre Crispim.

O fórum também apontou a falta de formação para o leigo, com a necessidade de um plano formativo para o laicato na Igreja.

As proposições dos 16 fóruns revelaram a realidade da Igreja na America, possibilitando a continuidade por meio do tema "Pentencostes: Comunidade levada pelo Espírito", onde os fóruns novamente se reunirão para aprender dos mestres que irão expor suas contribuições na tarde desta quinta-feira, dia 14 de agosto.

Cecília Soares de Paiva - Jornalista Oeste1 CNBB

 

Fonte: Revista Missões

Deixe uma resposta

12 + onze =